Cidades
Publicada em 12/01/2021 - 00h43min

André Diniz
Governo

Prefeitura condena declaração polêmica de adjunto de Esporte

Caio Cunha esclarece questões envolvendo Barreiros sobre comentários antidemocráticos e apurações do MP-SP

O prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha (Pode), condenou publicamente na tarde de ontem as declarações polêmicas envolvendo o recém-nomeado secretário-adjunto de Esporte e Lazer, Reinaldo Barreiros. O posicionamento veio após uma série de críticas e dúvidas lançadas nas redes sociais durante o final de semana.
A publicação original em uma rede social anteontem reapresentou um vídeo gravado pelo adjunto em um período não determinado, quando ele comentou o resultado das eleições presidenciais no Brasil. No vídeo, Barreiros teria exposto posições de cunho antidemocrático em apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), apoiando a censura e o exílio de adversários políticos. Em um dos trechos, ele diz: "Nós votamos nele [o presidente Bolsonaro] para ver o pau quebrar mesmo (...) Precisamos nos esforçar para aniquilar qualquer instituição que se oponha ao Brasil".
Outro ponto suscitado durante o final de semana seria uma investigação do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) que teria o nome de Barreiros entre os representados. A apuração trataria de um suposto desaparecimento de denúncia envolvendo servidores do Núcleo de Avaliação Estratégica (NAE) da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), em um suposto esquema de repasse de pagamentos de servidores. O Inquérito Civil 14.0695.0000358/2020-7, segundo consta na base de dados do MP aberto ao público, permanece "Em Andamento" e sob a jurisdição da Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social.
Em seu perfil nas redes sociais, o prefeito Cunha reiterou sua posição como contrário a qualquer tipo de extremismo político e classificou como "repugnante, infantil, desnecessário, irresponsável, imaturo, desagregador e constrangedor" o vídeo feito por Reinaldo Barreiros. O prefeito informou que teve uma conversa de mais de três horas com o secretário-adjunto, que Barreiros reconheceu o erro e demonstrou esforço no amadurecimento de seu posicionamento desde 2018. "Vivemos em uma democracia. Eu repudio qualquer tentativa de colocá-la em xeque. Promovo e defendo que o diálogo é fundamental", escreveu o chefe do Executivo.
Em relação às apurações do Ministério Público, Caio Cunha informou que, embora a certidão negativa de Barreiros não aponte condenações, a equipe da Prefeitura está analisando com profundidade para uma tomada de decisão com justiça e verdade, e lembrou que Barreiros foi contratado por competências técnicas e não por indicação política.
O secretário-adjunto foi apresentado na quarta-feira da semana passada pelo prefeito durante uma entrevista coletiva realizada na Prefeitura de Mogi das Cruzes. Na ocasião, também foram apresentados Michele de Sá Vieira como secretária municipal de Verde e Meio Ambiente e Marcelo Vendramini como novo diretor-geral do Serviço Municipal de Águas e Esgotos de Mogi das Cruzes (Semae).
Compartilhe
Comentários
Comentar

Mais vistos