Cidades
Publicada em 21/11/2020 - 19h40min

SEgunda onda

Retorno das cirurgias eletivas é suspenso pela governo paulista

Medida atinge o calendário de retomada da Prefeitura para as intervenções agendadas no Hospital Municipal

As cirurgias eletivas (sem urgência), programadas para serem retomadas nesta semana em Mogi das Cruzes, foram suspensas pelo governo do Estado de São Paulo por conta dos sinais de crescimento na curva de contaminação do coronavírus (Covid-19) nos municípios paulistas.
O governo do Estado de São Paulo assinou decreto que proíbe a desmobilização de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e a realização de novos agendamentos de cirurgias eletivas. O objetivo, segundo o governador João Doria (PSDB), é garantir leitos de unidade de terapia intensiva para infectados pela Covid-19, numa possível segunda onda de contaminação.
Parte das pacientes que realizariam as cirurgias ginecológicas nesta semana, já tinham realizado os exames necessários para os procedimentos. Esta modalidade de intervenção cirúrgica foi escolhida pela Secretaria Municipal de Saúde para ser a primeira demanda atendida com o retorno dos procedimentos em Mogi, desde o início da pandemia de Covid-19, em março. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a fila para os procedimentos conta com 151 mulheres.
Visando a liberação do centro cirúrgico do Hospital Municipal de Braz Cubas, utilizado como UTI, mudanças de distribuição do espaço na unidade foram realizadas desde o começo do mês para o início dos procedimentos cirúrgicos.
De acordo com o secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel, quando a Pasta tomou a decisão de refazer os exames das pacientes, visando o retorno das cirurgias, os índices relacionados à pandemia estavam decrescentes, entretanto, nas últimas semanas, os números voltaram a subir "consistentemente".
Questionado sobre a possibilidade de retornar a configuração do Hospital Municipal ao que foi visto durante o pico da pandemia, o secretário Naufel disse que "se houver a necessidade, sim".
"Temos que ser prudentes e nos adiantar aos fatos. Mudamos a configuração, testamos o fluxo, retornamos o ambulatório, mas sempre atentos aos novos casos de Covid-19. O titular da Pasta de Saúde já havia informado que a primeira especialidade atendida seria Ginecologia para testar o novo fluxo e, com o tempo, as intervenções cirúrgicas de outras especialidades seriam ampliadas gradualmente.
As cirurgias eletivas estão suspensas desde 23 de março. A aparente estabilidade dos indicadores relacionadas à pandemia da Covid-19 em Mogi registrada em meados de outubro possibilitou que a Pasta começasse a viabilizar o retorno de alguns procedimentos cirúrgicos. Entretanto, o aumento de casos e internações no Estado freia os planos da administração municipal.
Números
Na semana entre 9 e 15 de novembro foi registrado a segunda maior quantidade de novos casos desde a semana entre 14 e 20 de setembro. Na semana passada, 361 novos pacientes com o vírus foram descobertos, ao passo que em setembro foram 367 casos. O índice mais alto neste período ocorreu de 12 a 18 de outubro, quando 412 pacientes foram diagnosticados com a doença.
Compartilhe

Mais vistos