Cidades
Publicada em 17/10/2020 - 22h07min

Luiz Kurpel*
pandemia

Mogi registra a menor taxa de letalidade de Covid-19 do G5

Entre os municípios mais populosos da região, a cidade registrou 4,4% de mortes entre os casos confirmados

Foto: João Umezaki/PMMC

Apesar do maior número de casos confirmados da doença, Mogi tem menor taxa
Mogi das Cruzes apresentou a menor taxa de letalidade de Covid-19 dentro do G5 - grupo das cinco cidades mais populosas do Alto Tietê. Considerando os registros de casos confirmados e mortes, entre as pessoas que contraíram a doença 4,4% delas foram a óbito. Os dados são do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat).
A taxa de letalidade representa a proporção de pacientes que morrem pela Covid-19, em relação ao total de infectados. Até quinta-feira, o município registrava 9.154 casos confirmados da doença e 403 mortes. Apesar de Mogi apresentar o maior número de casos e mortes na região, sua taxa é a menor dentro do G5, que inclui Itaquaquecetuba, Suzano, Ferraz de Vasconcelos e Poá.
Itaquá, por outro lado, apresentou o maior índice de letalidade entre as cidades analisadas, 5,8%. Até a mesma data, o segundo município mais populoso da região havia registrado 5.201 casos de Covid-19 e 306 óbitos. Não muito distante da taxa informada por Itaquá, Ferraz registrou uma letalidade de 5,4%, com 3.026 contaminados e 166 óbitos.
Poá também se manteve com um patamar alto, bem próximo do informado pelas outras cidades. Com letalidade de 5,2%, é a terceira cidade com a taxa mais alta do G5. Até quinta-feira foram 2010 casos e 110 mortes.
A única cidade, além de Mogi, que ficou com a taxa abaixo de 5% foi Suzano com 4,5%. Entre as cidades mais populosas, registrou 5.594 casos e 254 falecimentos.
Juntas, as cinco cidades somam 25.085 casos confirmados e 1.239 óbitos. A taxa de letalidade para o G5 ficou, portanto, em 4,9%, bem acima da média estadual, que atualmente, é de 3,5% e da nacional de 2,9%, de acordo com o mapa da Covid-19 fornecido pela Universidade John Hopkins.
Leitos
Outro índice que ajuda a compreender o impacto do coronavírus na região é a ocupação de leitos especialmente destinados aos pacientes com Covid-19. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, a taxa de ocupação de leitos de UTI da Grande São Paulo ontem era de 40,8%.
O Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi, atua com 33 leitos destinados a Covid-19, somando 23 de enfermaria e 10 leitos de UTI. A taxa de ocupação ontem de 90% na UTI.
Já o Santa Marcelina de Itaquaquecetuba conta com 62 leitos para a doença, somando 22 de UTI e 40 de enfermaria. A taxa de ocupação da UTI era de 42%.
O Hospital Regional de Ferraz conta com 29 leitos para casos de Covid-19, sendo13 leitos de UTI e 16 de enfermaria. Na UTI, a ocupação era de 76,4%.
A pasta lembrou que as taxas variam no decorrer do dia em virtude de diferentes fatores. Um esquema especial de gestão é mantido para dar prioridade à internação de pacientes com quadros respiratórios agudos e graves. *Texto supervisionado pelo editor.

Índice de letalidade da Covid-19 no G5

CIDADE LETALIDADE CASOS ÓBITOS
ITAQUÁ 5,80% 5201 306
FERRAZ 5,40% 3026 166
POÁ 5,20% 2110 110
SUZANO 4,50% 5594 254
MOGI 4,40% 9154 403
Compartilhe
Comentários
Comentar

Mais vistos