Cidades
Publicada em 16/10/2020 - 22h54min

Felipe Antonelli
A partir das 10h30

Carreata contra pedágio ocorre hoje

O Movimento Pedágio Não encabeça hoje uma carreata contra a instalação do posto de cobrança na rodovia Mogi-Dutra (SP-88) proposta pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) por meio da concessão de rodovias

Foto: Mariana Acioli

Movimento promete nova manifestação contra o posto na rodovia Mogi-Dutra
O Movimento Pedágio Não encabeça hoje uma carreata contra a instalação do posto de cobrança na rodovia Mogi-Dutra (SP-88) proposta pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) por meio da concessão de rodovias.
Foram organizadas duas concentrações seguindo o protocolo sanitário contra a disseminação da Covid-19. A primeira parte às 10h30 da rotatória em frente ao Condomínio Aruã e a outra ocorre na Avenida Cívica, a partir das 11h30. O intuito é que o grupo que sairá das margens da Mogi-Dutra vá até a Avenida Cívica e, a partir das 11h30, retorne ao km 45 da rodovia, onde o pedágio foi inicialmente pretendido, em uma grande e única carreata.
Quatro candidatos a prefeito em Mogi das Cruzes confirmaram anteontem à reportagem que comparecerão à carreata. Caio Cunha (Pode), Felipe Lintz (PRTB), Fred Costa (PDT) e Miguel Bombeiro (Pros) garantiram que irão participar do ato contra a instalação do pedágio.
Rodrigo Valverde (PT) não confirmou sua participação no protesto por motivos de agenda eleitoral, mas disse que, caso consiga alterar sua programação de hoje, estará junto ao movimento. A assessoria de imprensa do prefeito e candidato à reeleição Marcus Melo (PSDB) confirmou à reportagem que ele não participará do ato, pois já possui compromissos eleitorais agendados ao longo deste sábado.
"Vamos intensificar a cobrança devido o avanço do projeto e o governador João Doria (PSDB) ter confirmado a licitação das rodovias para dezembro", explicou Adrianny Verçosa, representante do Movimento Pedágio Não. "A única forma de frear essa proposta é o povo gritando", completou.
Em reunião recente com entidades contrárias à instalação do pedágio, Marcus Melo afirmou que, para o projeto sair do papel, serão necessárias licenças ambientais que precisam tramitar no Executivo e que, como prefeito, não autorizará a emissão destes documentos. (F.A.)
Compartilhe
Comentários
Comentar

Mais vistos