Opinião
Publicada em 16/09/2020 - 00h02min

Alento na Educação

Em meio a tantas notícias desagradáveis, seja na área da Saúde ou na política, eis que surge um alento para os moradores do Alto Tietê: a Educação. O aprendizado avança na região, segundo levantamento do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), calculado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).
Levando em consideração somente as escolas sob responsabilidade das Prefeituras, do 1º ao 5º, Arujá, Guararema, Mogi das Cruzes, Poá, Santa Isabel e Suzano acompanharam o nível nacional e superaram a meta para o Ideb 2019. Já entre os municípios que não atingiram a meta, mas se aproximaram do objetivo, estão Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos e Salesópolis, que ficaram apenas um décimo do cumprimento das obrigações. Em último lugar está Itaquaquecetuba, que esteve dois décimos abaixo da meta. Além disso, junto com Itaquá, Biritiba e Salesópolis regrediram na pontuação.
Todo e qualquer avanço deve ser comemorado, mesmo que seja de apenas um décimo, mas não se pode deixar que algo tão sério para um país, como a educação - mesmo que este não pareça ser a menina dos olhos do Palácio do Planalto -, não tenha incentivos para avançar.
Pode parecer devagar, e por muitos isso não é notado. Espera-se um avanço ainda maior nos próximos anos, no entanto, como diz o ditado, toda fortuna já foi tostão um dia.
A melhora na educação das crianças projeta um ser humano melhor. Elas sendo capazes de fazer um cálculo ou interpretar um texto, por mais básicos que sejam, ajudam a criar um pensamento analítico que será benéfico mais adiante, quando as matérias escolares ficarem mais complicadas e, por consequência, se o futuro lhes permitir, no Ensino Superior.
Para além dos bancos escolares, uma educação decente forma cidadãos melhores. A escolha de profissões promissoras é apenas uma parte do processo de melhoria no sistema de aprendizado. Um cidadão melhor preparado é capaz de entender com mais clareza o que se passa ao seu redor e isso também produzirá representantes políticos, tanto no Executivo quanto Legislativo, com mais capacidade. Quem sabe? Ainda estamos nas páginas iniciais dessa mudança, longe de um final feliz, mas com a esperança de sempre.
Compartilhe

Mais vistos