Editorial
Publicada em 29/07/2020 - 02h01min

Dirceu Sousa

Dia do Agricultor

Em constante evolução por conta da entrada da tecnologia e dos avanços nos sistemas de produção, beneficiamento e distribuição dos produtos, a agricultura na região já viveu momentos mais glamorosos no final do século passado. Hoje, apesar de ter perdido um pouco de sua força, ainda tem representatividade na economia das cidades do Alto Tietê, principalmente Mogi das Cruzes, Biritiba Mirim e Salesópolis.
A celebração do Dia do Agricultor, oficializada ontem, é uma boa oportunidade para se refletir a respeito do setor, que vive neste ano uma de suas piores crises da história por conta das restrições ocasionadas pela pandemia do coronavírus. Sem um respaldo de financiamentos do Estado e da União, a agricultura teria poucas chances de sobreviver neste período de isolamento comercial.
No entanto, os números ainda são favoráveis. De acordo com os dados fornecidos pela Prefeitura de Mogi das Cruzes, a agricultura responde por cerca de 10% do PIB do município, possui 2 mil produtores individuais e emprega mais de 10 mil pessoas, de forma direta e indireta. Ocupa atualmente uma área de 26 mil hectares, com destaque aos bairros da zona rural. Em termos de produção, o carro-chefe são as 560 mil toneladas de hortaliças colhidas anualmente, que ainda faz jus ao título de Cinturão Verde de São Paulo.
Relevante também é a colheita de 31 mil toneladas de frutas por ano, sobressaindo como a maior produtora de nêsperas do país e responsável por 40% da produção nacional de caqui. No setor de cogumelos, a cidade concentra 60% dos produtores de todo o Brasil. Já com relação a flores, o município figura com o maior produtor nacional de orquídeas e hortênsias.
Para melhorar ainda mais esse desempenho, os produtores estão modernizando o trabalho com o reforço da tecnologia. Desde os estudos a respeito da fertilidade do solo, previsões de chuvas e dias mais frios, período propício para a nova safra e todo um reportório informatizado para colheita, embalagem e distribuição dos produtos, há a presença de equipamentos digitais. A técnica do plantio pode ser milenar e insubstituível, mas ela é mais promissora com o emprego das ferramentas adequadas.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Mais vistos