Cidades
Publicada em 31/07/2020 - 23h38min

Felipe Antonelli
Levantamento

Cai 24,2% a quantidade de mortes causada por Covid-19

Durante todo o mês de junho foram 314 óbitos registrados, ao passo que neste mês, foram 268 falecimentos

Mesmo com a reabertura parcial do comércio de rua, bares, restaurantes no Alto Tietê, as mortes em decorrência de coronavírus (Covid-19) caíram 24,2% em julho na comparação com o mês anterior. De acordo com levantamento realizado pelo Dat, com base nas informações do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) e das secretarias municipais de Saúde, 314 pessoas das dez cidades do Alto Tietê morreram pela Covid-19 em junho deste ano, enquanto de 1º a 30 de julho, 268 óbitos do tipo foram registrados.
Suzano foi na contramão do Alto Tietê, apresentando leve aumento na quantidade de mortes. Em julho foram registrados 60 óbitos, enquanto em junho 54 pessoas morreram em razão da doença, mas para tentar conter a demanda, o Hospital de Quarentena, montado na Arena Suzano, no Parque Max Feffer, terá seu funcionamento prorrogado por mais 30 dias. A expectativa é que de ocorra o fechamento gradativo do hospital no mês de agosto, conforme demanda e análise do cenário municipal e regional. Segundo o boletim epidemiológico, nesta última semana, a unidade registrou uma média de 12% de taxa de ocupação. Em maio, este índice era de 50%.
Estudo técnico
O chefe da Pasta, Luis Claudio Guillaumon, explicou que a decisão foi resultado de um estudo técnico realizado pelo Comitê da Saúde de Enfrentamento à Covid-19. "Resolvemos prorrogar o prazo por mais um mês para que a prefeitura continue a atender os casos existentes durante a pandemia. A demanda diminuiu, mas infelizmente ainda não zeramos e vamos oferecer esse suporte à população conforme seja necessário", disse.
Em Mogi das Cruzes, a redução na quantidade de mortes foi discreta, com queda de 6,94% em julho na comparação com o mês anterior. No município, 72 pessoas morreram no sexto mês deste ano, enquanto em julho, 67 óbitos do tipo foram registrados.
Segundo o secretário municipal de Saúde, Henrique Naufel, a população não sente diretamente essa alta nas internações - que também não reflete na quantidade de mortes - devido à eficiência no tratamento da Covid-19. Para ele, a estrutura montada, antes mesmo da pandemia se instalar em definitivo, está sendo determinante para o controle no número de mortes e a sensação de tranquilidade. "Se não fosse pelo hospital de campanha, o sistema de Saúde de Mogi das Cruzes teria dificuldades para suprir a demanda de pacientes com coronavírus. Sua instalação foi providencial", ressaltou Naufel, citando o importante equipamento construído no município.
Até setembro
O hospital de campanha de Mogi, que terá seu funcionamento prorrogado até setembro, atende pacientes com sintomas controlados da Covid-19 desde a última semana de maio.
Compartilhe

Mais vistos