Cidades
Publicada em 29/06/2020 - 23h13min

Nicolas Takada*
Emprego

Alto Tietê teve 2,4 mil postos de trabalho extintos em maio

Número do Caged, embora alto, ainda é melhor do que o resultado de abril, quando 7 mil vagas foram fechadas

Cinco cidades do Alto Tietê fecharam 2.407 postos de trabalho com carteira assinada no mês de maio, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados ontem pelo Ministério da Economia. Desde o começo do ano até o fim do mês passado, a região já registrou quase 10 mil desligamentos. O saldo é medido pelo número de contratações subtraído pelo número de demissões, que configura a quantidade de empregos criados ou extintos.
Mesmo com os números altos, o mês de maio não foi o pior registrado desde o começo do ano. No grupo das cinco cidades mais populosas da região, o G5, Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba, Suzano, Ferraz de Vasconcelos e Poá, o mês passado contou com 3.333 admissões e 5.740 desligamentos, resultando no fechamento de 2.407 postos de trabalho. Em abril - pior mês registrado do ano -, a região contou com um saldo negativo de cerca de 7 mil.
Mogi das Cruzes contou com o maior número de vagas de empregos extintas do mês em comparação com as cinco cidades da região. De acordo com os dados levantados, foram 2.260 demissões e 1.362 contratações, resultando um saldo de 898 postos fechados. O pior registro foi na área de Serviços, que apresentou um desempenho negativo de 355 demissões. Desde o começo do ano, a cidade já registra um saldo de 4.034 empregos extintos.
Em seguida, o município que também registrou um dos maiores fechamentos de postos de trabalho foi Itaquaquecetuba, com um saldo negativo de 2.665. Os dados mostram que a cidade contou com apenas 476 contratações e 1.105 desligamentos no mês passado, resultando em um saldo negativo de 629 vagas de emprego. Em Itaquá, a área com o pior cenário foi o de Indústrias, que acabou com 336 postos de trabalho fechados.
Os dados do Caged também mostram que Suzano acabou fechando o mês de maio com mais demissões do que admissões. No saldo entre as duas variações, foram 315 empregos formais extintos neste município. A cidade foi a segunda em contratações da região (990), mas acabou tendo também uma das maiores demissões registradas (1.305). Boa parte foram dos setores de Serviços e o Comércio. Como as outras cidades, Suzano também vêm contando com um saldo negativo na geração de empregos, apresentando até o momento um total de 1.741 desligamentos.
Por último estão os municípios de Ferraz de Vasconcelos e Poá, que também registraram o saldo negativo de postos de trabalho no mês passado. Ao longo deste ano, os números também não são os melhores, já que em Ferraz foram 563 postos de trabalhos extintos e em Poá 853.
Nos mês passado, Ferraz contou com 159 admissões e 377 desligamentos, resultando em 218 postos fechados. Em Poá o número não ficou tão diferente, pois até o final de maio foram contratados 346 pessoas de diversos setores, no entanto, foram demitidas 693, ocasionando em um saldo de 347 postos extintos..
*Texto supervisionado pelo editor.
Compartilhe

Video

Mais vistos