Cidades
Publicada em 26/03/2020 - 09h19min

desrespeito à quarentena

Fiscalização paralisa 53 estabelecimentos

Alguns locais foram autuados por falta do Sistema Integrado de Licenciamento (SIL)

Foto: PMMC/Divulgação

Por determinação estadual, vários comércios deverão ficar fechados até 7 de abril
O primeiro dia de fiscalização sobre as restrições de funcionamento de estabelecimentos comerciais paralisou, ontem, as atividades em 53 estabelecimentos em Mogi das Cruzes. O trabalho está sendo desenvolvido pelo Departamento de Fiscalização de Posturas e Guarda Municipal, com participação da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros.
Foram paralisadas as atividades de 11 bares, nove padarias, oito lanchonetes, seis mercados, quatro lojas de conveniência, duas adegas, duas materiais de construção, duas pizzarias, duas lojas de roupas, dois comércios ambulantes, uma usinagem, uma auto peças, uma mecânica (por falta de SIL), uma papelaria e um salão de cabeleireiro. Além da interrupção, alguns dos estabelecimentos foram autuados por irregularidades, principalmente por falta do Sistema Integrado de Licenciamento (SIL).
Outra ocorrência registrada durante o trabalho de terça-feira passada foi a autuação de um mercado por embaraço à fiscalização. Os responsáveis pelo estabelecimento não permitiram a entrada dos fiscais para verificação.
Ao todo, 12 fiscais, divididos em plantões de 24 horas, e todo o efetivo da Guarda Municipal irão atuar para garantir o cumprimento das determinações. Além das medidas de funcionamento do comércio e de estabelecimentos, também são verificados casos de aglomeração de pessoas, que não podem acontecer.
De acordo com a determinação do governo do Estado, somente os serviços essenciais podem funcionar até o dia 7 de abril. Entre os serviços que podem funcionar, estão hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas, transporte público, transportadoras, armazéns, supermercados, mercados, padarias, petshops, empresas de telemarketing, deliverys, serviços de limpeza pública e postos de combustível.
A população também pode colaborar com denúncias, por meio do telefone 153, da Guarda Municipal. O atendimento é feito 24 horas por dia e foi ampliado durante o período de crise.
Compartilhe

Video

Mais vistos