Brasil e mundo
Publicada em 24/03/2020 - 01h30min

Em dez anos

País perdeu 34,5 mil leitos de internação

Da pandemia de H1N1, em 2009, até a chegada do coronavírus, neste ano, o Brasil perdeu 34,5 mil leitos de internação. Esses espaços são destinados a pacientes que precisam ficar por mais de 24 horas dentro de um hospital e, pelas previsões de autoridades de saúde, poderão atender a grande parte dos casos mais graves da doença, cerca de 20% do total, nos próximos meses.
Em números totais, os leitos para internação no país caíram de 460,92 mil para 426,38 mil no intervalo que separa as duas pandemias. A queda ocorreu em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS), onde a redução chegou a 48,53 mil espaços de atendimento. No mesmo período, a rede privada apresentou um salto de cerca de 14 mil leitos, um aumento considerado baixo por especialistas do setor.
Técnicos do Ministério da Saúde dizem que a queda em número de leitos de internação é global e está relacionada, em parte considerável, à política pública de reforçar a atenção básica. Uma parte significativa de leitos fechados no país seria de hospitais conveniados do SUS que, pouco lucrativos, deixaram de funcionar. (E.C.)
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos