Polícia
Publicada em 08/02/2020 - 01h14min

Vitor Gianluca*
De Lucca

Acusados de matar PM são condenados

A Justiça condenou os quatro acusados pelo assassinato do policial militar Rodrigo de Lucca Fonseca, morto em 2014, a 67 anos e meio de prisão, na noite de ontem, no Fórum de Suzano.
Após três dias de julgamento, Demerson Andrade de Carvalho, Deives Willian da Silva, Antonio Monteiro da Silva Neto e Israel Xavier Candreas tiveram as suas sentenças divulgadas.
O primeiro suspeito foi condenado a 29 anos de prisão, por homicídio triplamente qualificado, roubo triplamente qualificado, extorsão e sequestro, sem direito de recorrer da decisão.
O advogado de defesa de Carvalho, Rafael Fernandes dos Santos afirmou que esperava uma pena muito superior. "Saímos felizes, pois conseguimos a absolvição do meu cliente com relação ao crime de associação criminosa. Ele havia confessado que havia atirado com arma de fogo contra a vítima na fase policial, na fase judicial e no plenário da mesma maneira, o que torna mais difícil para a defesa", disse Santos.
O segundo suspeito terá de cumprir 29 anos e nove meses de prisão por ser declarado culpado em todos os cinco crimes em que estava sendo acusado. São eles, homicídio triplamente qualificado, roubo triplamente qualificado, extorsão qualificada, sequestro e associação criminosa e também não terá direito de recorrer à decisão.
O terceiro acusado de participação no crime, Silva Neto, foi condenado a oito meses de prisão por sequestro, entretanto, já está há mais de cinco anos preso. Com a decisão do juiz, será realizado um alvará de soltura, porém, o acusado ainda responde por tráfico de drogas e porte ilegal de arma, que totaliza outros oito anos, com isso, ele retornará à prisão para cumprir o restante da pena e com a absolvição deste crime, ele irá progredir do regime fechado para o aberto.
Por fim, Candreas, que até então não estava preso por esse crime, foi condenado a 8 anos e nove meses de prisão em regime semiaberto, sendo declarado culpado por homicídio simples e associação criminosa.
*Texto supervisionado pelo editor
Compartilhe

Video

Mais vistos