Editorial
Publicada em 08/02/2020 - 01h13min

A sina do IPTU

Sai ano e entra ano e o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em Mogi das Cruzes continua gerando problemas para a população. Neste ano não foi diferente. Ontem, na data inicial para o vencimento da primeira parcela do tributo ou da cota única com desconto, de acordo com a preferência do proprietário de imóvel, muitos ainda não haviam recebido o carnê de cobrança. O atraso, inclusive, motivou o encaminhamento de um ofício à prefeitura, assinado pelos vereadores Mauro Araújo e Diego Martins, ambos do MDB, com um pedido para a prorrogação por dez dias do prazo de vencimento. Faz sentido.
No ano passado, ao enfrentar situação semelhante, o Executivo estendeu o período para o pagamento do IPTU em uma semana, reconhecendo um possível prejuízo ao contribuinte. Além disso, montou um plantão nas unidades do Pronto Atendimento ao Cidadão (PAC) no município para facilitar a vida do munícipe. Apesar da Secretaria Municipal de Finanças garantir que não houve atraso na entrega dos carnês neste ano e que de um total de 142 mil documentos 95% já haviam chegado às mãos do contribuinte na última quinta-feira, boa parte dos moradores reclamou a ausência dos carnês. Mesmo que o problema tenha surgido em anos anteriores, ele ainda não foi solucionado e ocorreu novamente.
Outra situação delicada provocada pelo IPTU é em relação a divergências de valores venais e de metragens de terrenos e construções estampados nos carnês do tributo. No ano passado, a prefeitura admitiu um erro de impressão em 2,5 mil documentos. O caso era reincidente, pois já havia ocorrido em 2018, e custou a cabeça do então secretário de Finanças, Aurílio Caiado, dispensado pelo prefeito Marcus Melo (PSDB). Segundo o Executivo, os erros e reclamações da população levaram ao desgaste do titular e a única alternativa foi sua substituição. Hoje, o setor é dirigido por Clovis Hatiw Lú.
Num momento em que o avanço tecnológico eliminou etapas baseadas em tarefas manuais e acelerou os sistemas de informação, conviver com problemas de atrasos na entrega de documentos e erros de impressão é um paradoxo pouco aceitável.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos