Cidades
Publicada em 15/01/2020 - 02h01min

Felipe Antonelli
Sesc

Unidade provisória no Socorro segue sem data

Apesar das expectativas da Prefeitura de Mogi das Cruzes para que a unidade provisória do Serviço Social do Comércio (Sesc) começasse a ser instalada nos primeiros meses deste ano, a entidade informou que ainda não possui uma data definida para que isso ocorra, pois atualmente representantes do Sesc trabalham na finalização do registro da escritura, o que irá consumar a doação da área localizada no bairro do Socorro. Apenas após a finalização dos trabalhos de oficialização da doação do espaço, será possível, de acordo com o Sesc, prever o início das ações no novo endereço.
Portanto, "o início das atividades na futura unidade do Sesc em Mogi das Cruzes ainda não tem uma data definida", concluiu a entidade, em nota.
Em novembro passado, para dar mais celeridade ao processo, o prefeito Marcus Melo (PSDB) se reuniu com o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), Abram Szajman, e com o diretor regional do Sesc São Paulo, Danilo Miranda, na sede da Federação, em São Paulo. Segundo o diretor regional do Sesc, uma vez com a escritura da área em mãos, a intenção do Sesc é traçar um plano inicial para a ocupação da área do Centro Esportivo do Socorro.
A administração municipal disse que, após o encontro, os representantes do Sesc ficaram de analisar as possibilidades de trazer em 2020 a unidade provisória para a cidade e que têm total interesse de que isso se concretize o quanto antes.
A vinda do Sesc a Mogi das Cruzes já sofreu atrasados em relação ao plano traçado inicialmente, principalmente pela intervenção da Justiça. Isso porque, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP) suspendeu por meio de uma medida liminar a cessão da área do Centro Esportivo do Socorro à entidade e obrigou a prefeitura a refazer o projeto de lei, desta vez doando o espaço em definitivo ao Sesc.
Após a aprovação do projeto de lei de doação do terreno, o secretário municipal de Cultura e Turismo, Mateus Sartori, reconheceu que o município não figura mais na primeira posição da lista de instalação de uma unidade por parte do Sesc devido à questão judicial imposta anteriormente. Mesmo assim, ele ressaltou que Mogi terá sua unidade dentro de seis anos, conforme a lei aprovada. "É um projeto de longo prazo, mas vamos trabalhar para trazer a unidade provisória já para o próximo ano", concluiu o titular da pasta se referindo a 2020.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos