Cidades
Publicada em 16/11/2019 - 17h21min

alívio para santa casa

Esperança é de melhorias para gestantes com início das obras

Prefeitura oficializou ontem a construção da Maternidade Municipal, que deverá ficar pronta na metade de 2022

Foto: Ney Sarmento/PMMC

Clima do evento de ontem foi de alegria e esperança para um futuro melhor
Como uma grande esperança para minimizar a superlotação de gestantes e bebês na Santa Casa de Misericórdia de Mogi das Cruzes, a Maternidade Municipal, no valor de R$ 35,1 milhões, começou a ser construída na manhã de ontem. O início oficial das obras já tem boas expectativas no que diz respeito à diminuição de um dos maiores gargalos no setor da Saúde no município: a baixa estrutura para recepcionar o número alto de mulheres em trabalho de parto. A nova unidade começou a ser levantada na rua Francisco Affonso de Melo, em Braz Cubas, e será finalizada em cerca de dois anos e meio.
A Santa Casa possui atualmente o total de 38 leitos disponíveis para gestantes, que são compartilhados entre pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), particulares e outros convênios médicos. Por este motivo, sofrem diariamente com a superlotação. Já a nova Maternidade Municipal terá 89 leitos para as futuras mamães.
O prefeito Marcus Melo (PSDB) esteve presente ontem no lançamento da Pedra Fundamental da Maternidade e explicou sobre os benefícios da futura estrutura. "A Santa Casa tem 182 leitos, mas apenas 38 para gestantes. Já tivemos o total de 71 mães internadas, o que dificulta as outras necessidades da unidade, considerando que os leitos de Fisioterapia estavam sendo utilizados para gestações. Ou seja, a nova obra vai beneficiar não só as mães, como outros pacientes também", concluiu.
O secretário Municipal de Saúde, Chico Bezerra, também esteve presente no evento de ontem. "A Santa Casa sempre realizou um ótimo trabalho, porém, a quantidade de grávidas é superior ao número de leitos disponíveis, por isso a construção da Maternidade é tão importante. Essa, sem dúvidas, será uma das maiores obras feitas pelo nosso prefeito", disse.
Já o Deputado Estadual Marco Damasio, relembrou que o município está aguardando a entrega do investimento pelo Estado. "Sabemos que a prefeitura não tem os recursos necessários para todos os custos da obra e manutenções. Por isso já estamos cobrando o nosso governador (João Doria)", completou.
O projeto da futura Maternidade Municipal foi desenvolvido pela Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde. Entre os espaços previstos estão a segunda unidade do Programa Mãe Mogiana, Pronto Atendimento de Obstetrícia, Berçário com Cuidados Intermediários e Intensivos (UTI), Parto Humanizado, Centro Obstétrico, Pré e Pós-Parto e UTI Adulto, entre outros.
*Texto supervisionado pelo editor.
Compartilhe

Video

Mais vistos