Cidades
Publicada em 09/11/2019 - 00h34min

Felipe Antonelli
Basquete

Invicto, 'time intermediário' surpreende técnico no NBB

Guerrinha avalia que boa campanha no torneio nacional é fruto do jogo coletivo intenso desenvolvido pela equipe

Foto: Antonio Penedo/Mogi Basquete

Guerrinha encerrou treinos na quinta, preparando a equipe para enfrentar Bauru
O técnico do Mogi Basquete, Jorge Guerra, o Guerrinha, se disse surpreso com o desempenho do time no começo da temporada do Novo Basquete Brasil (NBB), na qual o time mogiano conseguiu quatro vitórias em quatro jogos - Paulistano e São Paulo, fora, e Corinthians e Pinheiros, em casa. Hoje, a equipe enfrenta o Bauru, às 12h50, no interior paulista, com transmissão pela Band.
"Uma surpresa em termos de atitude, de aceitação e de reproduzir aquilo que estamos treinando, mas o resultado, sim, é fora da realidade. Nossa equipe hoje é intermediária, para baixo, que pode, se tudo der certo, ir para cima", descreveu o treinador Guerrinha.
Para ele, o cenário do basquete brasileiro se divide em três escalões. Mogi figura em um grupo com diversos times intermediários, que podem, ou não, disputar as primeiras posições. Franca e Flamengo, por seus elencos, estariam acima de todos, seguidos de perto por Corinthians, São Paulo e Minas, com investimentos significativos.
"Depois, viria o grupo com muita gente: Paulistano, Pinheiros, Mogi, Bauru, Botafogo, e até surpresas como o Brasília. Nesse grupo intermediário você pode estar em cima ou em baixo", avaliou Guerrinha, afirmando que o bom desempenho do time mogiano se dá principalmente pelo jogo coletivo intenso.
Com semana cheia de treinos, o Mogi Basquete quer manter hoje a invencibilidade e continuar nas primeiras posições. O time não contará com o armador Alexey Borges, que se recupera de uma lesão na perna esquerda. Mudanças foram treinadas durante a semana, mas nada "estrutural", como disse Guerrinha. "Lógico que temos de fazer algumas modificações sem o Alexey, a configuração da equipe muda em algumas situações de ataque de defesa", concluiu.
Mesmo com a química dentro de quadra, em entrevista à reportagem, Guerrinha não deixou de cobrar reforços ao Mogi Basquete, principalmente um pivô mais dominante no garrafão. "Ai sim, com essa base e tempo, temos uma equipe completa", sugeriu o treinador.
Paranhos
"Se você for analisar a parte tática, o revezamento, o treinamento, o potencial para melhorar, não tem motivo nenhum para pegar no pé dele". Assim pensa Guerrinha quando questionado se há justiça no tom que a torcida mogiana adota - em oportunidades isoladas - em relação às atuações do pivô Alexandre Paranhos. "Está na história do basquete, sempre vão pegar mais no pé do pivô, assim como no futebol tem o goleiro", disse o treinador, afirmando ainda que Paranhos é um atleta importante ao time.

Ala-pivô Fabrício tem confiança de Guerrinha

De volta ao elenco do Mogi Basquete desde o final de outubro, o ala-pivô Fabrício Russo foi elogiado pelo treinador Jorge Guerra, o Guerrinha, que demonstrou confiança no atleta. Além disso, de acordo com o comandante da equipe, o ala-pivô está longe do seu potencial máximo, visto que atualmente está jogando 20% do que sabe.
“Fabrício tem um lastro de três temporadas e entende como a gente quer que ele jogue. Aplicado e lutador, só que ainda está sem ritmo. Fabrício está com 20% do seu potencial, e mesmo assim ajuda muito a equipe”, disse Guerrinha em relação ao atleta que estava suspenso preventivamente pela Autoridade Brasileira de Controle de Doping (ABCD) por doping pelo uso de medicamento para tratar a asma.
A torcida mogiana detém um carinho especial pelo atleta remanescente de outras temporadas, tanto que na confirmação de retorno de Fabrício, muitas manifestações foram feitas na redes sociais, indicando que o time tem as características do atleta.
Guerrinha também confirmou que o atleta é bem dedicado, prometendo ainda que aos poucos o ala-pivô vai entrando no jogo. “Ele precisa mesmo se dedicar porque enquanto ele melhora o time também melhora. Próximo ao começo do segundo turno acho que ele já vai estar no seu máximo, junto com outros atletas”, avaliou o comandante.
Há época, o Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJDAD) confirmou a pena de seis meses para o atleta e como ele ficou um ano fora das quadras já pode integrar o elenco do Mogi-Basquete. Fabrício já disputou dois jogos pelo Mogi Basquete, na derrota em casa para o San Lorenzo (78 a 82), pela Champions League, e na vitória também em casa, frente ao Pinheiros (73 a 69), pelo Novo Basquete Brasil (NBB).
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos