Cidades
Publicada em 09/10/2019 - 23h33min

Lilian Pereira
Educação e Segurança

Secretários aprovam modelo cívico-militar para Mogi

Os secretários de Educação e Segurança de Mogi das Cruzes informaram ontem que são favoráveis à implantação de uma escola cívico-militar. Apesar de o processo ser realizado pelo governo do Estado de São Paulo, o Executivo mogiano pode auxiliar na chegada desse modelo de escola. Além disso, o prefeito Marcus Melo (PSDB), informou na segunda-feira que vai solicitar uma unidade para o município. O público-alvo são alunos do Ensino Fundamental II (do 6º ao 9º ano) e Ensino Médio. Apenas uma escola em Mogi será contemplada. "É um pontapé inicial, um projeto-piloto e se der certo e tiver boa aceitabilidade, vamos expandir", revelou o secretário de Segurança, Paulo Roberto Madureira Sales, o coronel Sales.
A implantação desse modelo é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC), que pretende implantar 216 escolas cívico-militares em todo o país. De acordo com o MEC, a educação cívico-militar tem como objetivo melhorar o processo de ensino-aprendizagem nas escolas públicas, ou seja, os alunos receberão estrutura parecida com a de colégios militares do Exército, Polícias e Corpos de Bombeiros.
A data limite do processo de inscrição para se adequar ao modelo, já no próximo ano, havia sido concluída em 27 de setembro, mas o governo decidiu prorrogar o prazo até amanhã, já que o Estado de São Paulo estava analisando a possibilidade de adesão.
Para o secretário de Segurança de Mogi, a implantação de uma escola cívico-militar vai colaborar com a valorização de símbolos do Brasil. "Vamos tentar conseguir uma unidade para Mogi. Uma escola cívico-militar auxilia a pessoa na valorização do país, na civilidade, respeitos e valores voltados para a população no geral. Sou suspeito para falar, pois sou militar, mas com certeza a informação que um aluno recebe nessas escolas aumenta o percentual de uma boa educação", explicou.
A secretária de Educação, Juliana Guedes, lembrou que, como a ação de implementar o modelo nas escolas é parte do governo federal, serão as escolas estaduais que serão atendidas. No entanto, se mostrou à disposição, caso necessário, para colaborar com o processo. "A cidade sozinha não podia solicitar uma escola cívico-militar, então com a adesão do Estado de São Paulo no programa isso ficou mais fácil. Ainda estão no momento de adesão, mas com certeza a Pasta pode intermediar essas etapas para que realmente ocorra", disse. Juliana também revelou que a solicitação da escola pelo prefeito Marcus Melo (PSDB), atende à demanda dos moradores, que pedem para que Mogi adote esse modelo nas escolas.
  • Coronel Sales: "Se der certo, vamos expandir"
  • Juliana Guedes: "Vamos intermediar as etapas"
Compartilhe

Video

Mais vistos