Opinião
Publicada em 11/07/2019 - 23h38min

Felício Kamiyama

Gases mortais

Há três dias, em Guarulhos, cidade vizinha ao Alto Tietê, acionada por moradores locais, a polícia ingressou em uma residência e lá encontrou um casal e seu filho, de apenas 2 anos, lamentavelmente, todos sem vida. A casa se encontrava em ordem e, nos corpos da família, não haviam sinais de violência.
Diante das diversas hipóteses, naturalmente levantadas pelos profissionais de polícia, a mais provável apresentada foi a de intoxicação por monóxido de carbono, pois no interior do recinto que acomodava a família havia uma churrasqueira portátil ainda acesa que, com a finalidade de amenizar as baixíssimas temperaturas ocorridas na semana, provavelmente foi utilizada para aquecer a família e, em especial, o pequenino.
Embora aparentemente inofensiva e que se presta a momentos agradáveis de confraternização, a queima de carvão em churrasqueira, em ambientes confinados e de pouca ventilação, pode ser fatal, pois produz o monóxido de carbono, gás de elevado poder tóxico. Por não ter cor e nem cheiro, os sintomas, que consistem em dores de cabeça e no peito, tontura, confusão mental, fraqueza, náuseas e vômitos, permitem serem atribuídos a outras enfermidades, atrasando as providências necessárias e permitindo a evolução do quadro para o estado de inconsciência, asfixia e morte, o que, provavelmente, tenha ocorrido no caso em questão.
Além do carvão, o mencionado gás é liberado, também, pela combustão de outros produtos ricos em carbono e derivados do petróleo, comumente utilizados em equipamentos como fogão, motores de automóveis e aquecedores. Foi o último, talvez o responsável por igual tragédia ocorrida no Chile e vitimando seis brasileiros de uma única família. Infelizes fatos que me remetem ao passado, fazendo-me recordar de um evento triste que tirou a vida de um jovem, o qual, após o encerramento de um dia duro de trabalho, decidiu relaxar numa banheira, aquecida por fogo produzido pela queima de gás de cozinha. Intoxicado pela substância, no interior da banheira, desmaiou e, asfixiado, faleceu. A cena, inenarrável.
Compartilhe

Video

Mais vistos