Cidades
Publicada em 10/07/2019 - 23h09min

Felipe Antonelli*
Transportes

Prefeitura estuda aumentar idade dos carros para taxistas

Buscando harmonia entre táxi e transporte por aplicativo, tentativa é de igualar direitos e deveres das categorias

Foto: Felipe Claro

Após prefeitura estudar 'facilidades' aos aplicativos, taxistas temem prejuízo
Na tentativa de incluir todos os envolvidos com o transporte individual urbano em Mogi das Cruzes, o tempo de uso dos veículos para táxi também deverá ser alterado, acompanhando o que também vem sendo desenvolvido para as empresas de transporte por aplicativo que atuam no município, como Zomm, Uber e 99.
A informação foi passada com exclusividade à reportagem pelo secretário de Transportes Municipal, José Luiz Freire de Almeida, que alegou que a intenção dele, enquanto chefe da Pasta, é ampliar a idade permitida para o uso dos automóveis e incluir esta alteração na proposta que será encaminhada à Câmara de Vereadores de Mogi das Cruzes. "Esta talvez seja uma das maiores reivindicações dos taxistas", afirmou o secretário de Transportes.
Sobre possíveis mudanças que possam ser feitas na tributação aos taxistas, Almeida foi sucinto e afirmou que as alterações estudadas para os motoristas por aplicativo não isentam estes de contribuições. Ou seja, a prefeitura também recolherá tributos do serviço de transporte por aplicativo oferecido em Mogi.
Na última semana, a Secretaria Municipal de Transportes afirmou que estuda alterações na lei que atualmente rege a atividade dos motoristas por aplicativo, a fim de facilitar o serviço na cidade, o que desagradou o Sindicato dos Taxistas de Mogi, representado por Sandro Monfort. Na oportunidade, ele alegou ser necessário a revisão de alguns pontos da legislação também para os taxistas, já que não considera justo os benefícios apenas para a mais nova categoria atuante no mercado.
O representante da categoria disse que aumentar o tempo de uso dos carros para os taxistas é o mínimo que se pode fazer neste momento, mas que ainda falta muito trabalho e discussão para buscar a equidade entre as atividades de táxi e transporte por aplicativo. "Os taxistas não têm problemas em cumprir com todas as regras que são impostas. Só precisamos de condições mais justas de trabalho", completou Monfort.
Câmara disposta
De nada vai adiantar os esforços da Secretaria de Transportes, caso o projeto não seja discutido junto ao Legislativo, já que, como a lei sofrerá alterações, estas precisam ser aprovadas novamente pela Câmara.
Ao que parece, a harmonia entre a Pasta e a Casa de Leis não preocupa Almeida, que vê com bons olhos a aceitação das mudanças por parte dos parlamentares, principalmente do presidente da Comissão de Transportes, vereador Jean Lopes (PC do B). "Ele (Lopes) sempre se colocou à disposição de diálogo e a intenção dele é que o projeto caminhe no bom sentido. Sei que vão fazer os esforços necessários para o benefício da população", apostou Almeida.
*Texto sob supervisão do editor. 
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos