Cidades
Publicada em 10/07/2019 - 22h36min

Felipe Antonelli*
Poá

Policial militar é indiciado por morte de jovem em 2018

Brenda Lima Oliveira, de 20 anos na época, estava na garupa da moto do namorado quando foi baleada nas costas

Foto: Mogi News

Caso foi investigado pela Polícia Civil de Poá; policial militar indiciado segue trabalhando normalmente
O policial militar, antes considerado suspeito pela morte da jovem Brenda Lima Oliveira, de 20 anos, em Poá, em julho de 2018, passou a indiciado pelo crime de homicídio doloso (quando há a intenção de matar), conforme informou a Secretaria de Segurança Pública (SSP). A pasta ainda confirmou que o inquérito do caso foi finalizado e que atualmente o policial militar está trabalhando normalmente em atividade externa.
Brenda foi baleada nas costas quando estava na garupa da moto com o namorado, que na época tinha 19 anos, que também foi alvejado, mas recebeu atendimento médico dias depois já estava em casa.
O policial estava de folga em sua casa e possuía 21 anos na época. Ele confessou ter atirado no casal de moto da varanda de sua residência. Ele justificou que estava sendo ameaçado há mais de uma semana, em função de uma operação realizada no bairro onde morava. Na ocasião, várias pessoas foram abordadas e presas.
Ele alegou que horas antes uma bomba havia sido jogada no portão de sua casa e que um casal rondava o imóvel. O PM ressaltou ainda que ao ver Brenda e o namorado passando de moto, sendo que o rapaz teria feito um movimento brusco, ele efetuou os disparos.
O crime chocou a vizinhança que, dois dias depois da morte da jovem, organizou um protesto e queimou pneus em uma das vias do bairro. Durante a manifestação, dois ônibus foram esvaziados por dois homens e, em seguida, queimados. Um terceiro coletivo foi depredado.
Imagens de câmeras de monitoramento próximas à casa do PM, que circularam nas redes sociais, mostram que por volta das 22 horas do  dia 2 de julho de 2018 (horas antes do casal ser atingido pelos disparos do PM) um pessoa com capuz - aparentemente uma mulher - se aproximou da residência e lançou um objeto similar à uma bomba em direção ao imóvel. A defesa do PM emitiu uma nota alegando que versão do policial permanece intacta já que vinha sofrendo ameaças e que ele e sua família foram obrigados a abandonar a casa onde moravam.
Texto supervisionado pelo editor
 
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos