Polícia
Publicada em 27/04/2019 - 00h47min

Estadão Conteúdo
tecnologia

Brasileirão começa hoje com uso do VAR em todos os jogos

CBF prevê fase de adaptação do sistema de árbitro de vídeo, mas sabe que ainda está distante do nível mundial

Foto: Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

Festa do Palmeiras, campeão no ano passado, teve a presença de Jair Bolsonaro
A principal novidade do Campeonato Brasileiro desta temporada, que começa hoje, é a presença do VAR. Com a expectativa de diminuir os erros de arbitragem e deixar o resultado de campo "mais justo", o Campeonato Brasileiro inicia hoje uma nova era: a do árbitro de vídeo. O sistema será utilizado nos 380 jogos, mas a CBF admite que levará algum tempo até "cair no gosto" de clubes e torcida. O exemplo dos estaduais mostrou que ainda falta muito para que o desempenho do VAR seja próximo ao da Copa do Mundo da Rússia, no ano passado.
Os clubes paulistas entram na competição em situações distintas, mas, pelo potencial, sempre figuram como favoritos. O Palmeiras, campeão do ano passado, manteve boa parte do elenco e o técnico Luiz Felipe Scolari, sempre um reforço para as ambições do clube. O Corinthians, que começou o Paulista tomando sustos, subiu de produção e acabou como campeão do torneio. O São Paulo, vice no Estado, contratou o técnico Cuca e jogadores de projeção, como Alexandre Pato, Tchê Tchê e Vitor Bueno, além do meia Hernanes que já está desde o início da temporada. O Santos pouco investiu na contratação de atletas, mas trouxe o técnico argentino Jorge Sampaoli, com passagens pelas seleções do Chile e da Argentina.
Assim como ocorreu na temporada passada, o Brasileirão terá uma parada após a nona rodada para a realização da Copa América, que será sediada no país de 14 de junho a 7 de julho. Com isso, alguns clubes podem se beneficiar com a interrupção realizando uma inter temporada de treinamento. A ideia geral é conseguir uma boa arrancada no início do torneio e ganhar fôlego para a competição que vai até dezembro.
Implantado nas finais dos principais estaduais do país, o sistema de vídeo ajudou em alguns lances, mas não impediu protestos. Na finalíssima do Carioca, por exemplo, o primeiro gol do Flamengo sobre o Vasco saiu de lance iniciado com impedimento. No Gaúcho, um pênalti marcado para o Grêmio graças a uma imagem congelada no vídeo gerou protestos por parte do Inter. No Catarinense, o VAR foi acionado para avaliar se a bola cruzou a linha em um pênalti cobrado pela Chapecoense contra o Avaí, mas a imagem foi inconclusiva - a Chape quer anular a partida no tribunal.
Na CBF, o discurso é que os estaduais colaboraram para o uso do VAR no Brasileirão. "Foram um treinamento fundamental para que a gente conseguisse ter uma melhora da nossa performance no Campeonato Brasileiro", afirmou o novo presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba. "Não podemos comparar a experiência de Copa do Mundo com a dos estaduais. Aqui estão experimentando pela primeira vez, lá tinha um quadro de árbitros de vídeo formado, eram todos especializados", comparou.
Gaciba admite que o sistema está sujeito a falhas: "O objetivo do árbitro de vídeo não é chegar a 100% de acerto. Ele tem que chegar o mais perto possível na questão da perfeição, mas perfeição não se alcança nunca".
Compartilhe

Video

Mais vistos