Brasil e mundo
Publicada em 13/04/2019 - 00h56min

Estadão Conteúdo
Final do Paulistão

Fagner evita comparar atual time com anteriores

Foto: Divulgação

Fagner condenou possíveis atos violentos da torcida
Bicampeão paulista pelo Corinthians em 2017 e no ano passado, o lateral-direito Fagner evitou a comparação entre os elencos anteriores da equipe e o atual, além de ter descartado qualquer favoritismo na decisão do Campeonato Paulista, que se inicia amanhã, contra o São Paulo, no estádio do Morumbi, às 16 horas.
"O atual elenco está na final. Os outros dois foram campeões. Algumas peças eram diferentes. Mas é difícil colocar no lápis e apontar quem era melhor. Fácil falar que os outros foram bem porque foram vencedores. Espero que esse construa a sua história, como os outros dois construíram", disse.
Fagner é um dos jogadores mais experientes da equipe, e admitiu que levantar a taça de tricampeão seria um sonho. Apesar de o técnico Fábio Carille revezar a braçadeira, ele acha que a honraria deverá ficar com o goleiro Cássio ou o volante Ralf. "Seria gratificante. É um momento histórico levantar o troféu. Mas acho que vai ficar entre Cássio e Ralf pela história deles. Mas, antes de mais nada, temos que trazer o título para casa", afirmou.
Sobre a questão da segurança na chegada ao Morumbi - o Corinthians ameaça não jogar se o seu ônibus for apedrejado amanhã -, o jogador foi enfático ao condenar possíveis atos de violência. "O torcedor que atira não pensa que pode acertar e machucar alguém. Imaginou pai de família indo trabalhar e leva uma pedrada, vai para o hospital correndo o risco de não exercer sua profissão. Alguém tem de tomar atitude séria. Essa pessoa tem de ser responsabilizada. E serve para qualquer profissão", argumentou o lateral.
São Paulo
Quando entrar em campo amanhã para disputar o seu 180º jogo com a camisa do São Paulo, o volante Hudson estará comemorando cinco anos de clube. Aos 31, ele teve bons e maus momentos, mas nunca desistiu de mostrar serviço e tem contrato até 31 de dezembro de 2021. Com a necessidade de atuar como lateral-direito, assumiu a posição e ajudou no crescimento do time na reta final do Paulista.
"Tenho quase 200 jogos pelo São Paulo, uma marca significativa na minha carreira. E esta atmosfera de final contra um rival me motiva bastante. A torcida abraçou o nosso time novamente e tenho certeza de que fará uma grande festa, no Morumbi, para empurrar a equipe. O estádio estará lotado e que a gente possa aproveitar este momento especial para desenvolver o nosso futebol", disse o volante.
Experiente, Hudson sabe que a decisão do Estadual contra o rival Corinthians é uma oportunidade incrível para esse grupo mostrar talento. O São Paulo não conquista um título desde 2012, quando venceu a Copa Sul-Americana, e esse jejum de conquistas incomoda a torcida, os dirigentes e os próprios jogadores.
Compartilhe

Video

Mais vistos