Variedades
Publicada em 11/02/2019 - 23h23min

Suéller Costa
Literatura

Primeiro encontro do grupo Entremeio Literário homenageia Chico Buarque

Grupo se reúne nesta terça no Casarão do Carmo, e revigorado para fortificar as ações em prol da literatura

Foto: Divulgação

"Chico e os Amigos" reunirá música, poesia, teatro e dança para enaltecer o trabalho do compositor brasileiro
Reunir amantes da literatura, debater obras clássicas, compartilhar trabalhos autorais, conhecer diferentes publicações, e, ao meio de todo este repertório, semear reflexões, agregar conhecimentos e expandir visões de mundo. Esta é a riqueza cultural que o grupo Entremeio Literário vem semeando ao longo de 12 anos de importantes trabalhos em toda a região. Ao meio de diversas atividades, os encontros semanais no Casarão do Carmo são tradicionais, e, após o período de recesso, o espaço reabre as suas portas para continuar os debates.
A primeira reunião do ano será nesta terça-feira, dia 12, às 19h30, e, desta vez vai ser temática. Intitulado "Chico e os Amigos", o encontro prestará uma homenagem a Chico Buarque. Os integrantes vão promover um sarau, com destaque às obras do músico brasileiro. Música, poesia, teatro e dança prometem contagiar o espaço, e compartilhar cultura entre o público presente. O evento é aberto a todos, e a entrada é gratuita. O endereço é rua José Bonifácio, 516, no Largo do Carmo.
Idealizado pela produtora cultural Carla Pozo, o grupo é formado por pessoas de diferentes faixas etárias, de crianças e adultos, e o objetivo é reunir aqueles que apreciam o universo literário. "O nosso objetivo é a convivência, e os trabalhos são diversos, temos o momento dedicado aos estudos, à leitura e debate de obras, a rodadas de apresentação de trabalho. Gostaria de destacar que este não é um grupo apenas de escritores, pelo contrário, ele é voltado a todos que amam a literatura. Durante o processo, cada um pode levar o seu texto, e divulgar o seu trabalho ou as temáticas que aprecia. Mas esta atividade não é obrigatória, também é possível participar como ouvinte, a regra é, simplesmente, querer participar", explica.
Das reuniões mensais, várias ações significativas passaram a integrar o cotidiano do grupo, e uma delas é a Feira Literária Serra do Itapety (Flisi), que neste ano chega à 6ª edição. O evento, que começou com a exposição de trabalhos ao longo de um dia no Parque Centenário, ganhou maior proporção, e hoje estendeu a sua programação, com ações não só no parque, como também em escolas e instituições. Para este ano, o objetivo é ampliar parcerias para fortalecer as ações fixas e estender o evento para um maior público. "Nosso grupo procura levar a literatura de várias maneiras ao público, e a Flisi, que começou pequena, vem ganhando espaço. Atualmente, temos vários dias de ações, contato direto nas escolas e um relacionamento mais intimista com o público interessado, levando contação, bate-papo e lançamentos, mas queremos buscar mais parcerias", conta Pozo.
Dentre os destaques da Flisi, Pozo enaltece duas propostas que deram certo, e que, a cada edição, surpreende a programação. Uma delas é o lançamento de um livro contendo a coletânea de produções dos participantes do encontro. A obra, que já está em sua terceira edição, é uma forma de valorizar os autores regionais, e destacar os talentosos escritores que engrandecem as reuniões no Casarão do Carmo. Outra iniciativa é a mostra de poesia declamada, um projeto idealizado por Marcus Villa com o objetivo de valorizar não só o processo de criação e escrita, mas também a expressão, que é importante para a divulgação da arte.
Para a produtora cultural, são ações que fortalecem o grupo, e que vem destacando aqueles que, por meio das palavras - escritas e orais -,
constrõem a sua história. Para 2019, a missão é intensificar essas atividades para que mais pessoas reconheçam a importância da literatura não só para a formação leitora, como também humana.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos