Opinião
Publicada em 09/02/2019 - 21h32min

José Mauro Jordão

Consolo da verdade

Buda, em sua filosofia da vida, resumiu numa frase o seu pensamento sobre o sofrimento: "Viver é sofrer". O sofrimento é uma experiência inevitável no ser humano.
Qual é o meio para suavizá-lo? Jesus fez saber aos seus discípulos, após sua partida, que seriam perseguidos por causa da verdade, mas manteria a paz em seus corações e que no mundo passariam por aflições, como Ele passou, mas que vencessem o mundo assim como Ele venceu. E Jesus continua suas palavras ao revelar o segredo que abre as algemas da mentira e do medo que escravizam: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará."
A aterradora avalanche de lama se agigantou do leito da barragem de Brumadinho e levou para a morte e destruição tudo que encontrava a sua frente; no entanto, depois da tragédia resta dentro de cada um que ali sobreviveu, ou mesmo de parentes e amigos a distância, uma avalanche mórbida de detritos de revolta e inquietação, sem respostas da razão, miasmas espirituais que debilitam a vontade de crer e de viver, perdas rápidas e definitivas de entes queridos e de bens materiais dos quais dependia o sustento da família.
O velho e sábio Salomão em 3 de Eclesiastes conclui em suas reflexões que tudo tem seu tempo determinado: há tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de chorar e tempo de sorrir; nessa ambiguidade de emoção ele demonstra que tempo tem limite de duração e nos dá a assertiva esperançosa que diz: "tudo passa".
As consequências da avalanche do mal, que nos açoitam e nos maltratam, podem ser suavizadas ou mesmo podem desaparecer se tivermos o consolo da verdade bíblica que afirma que a vida pertence a Deus e os nossos dias sobre a terra estão contados, ninguém pode acrescentar ou diminuir o tempo da sua existência.
Você só pode cuidar da qualidade de vida, mas não da vida; assim como os mortos pertencem a Deus e nada você pode fazer para ajudá-los no além. Deixem em paz aqueles que lá estão soterrados; desaparecidos já são contados como mortos.
Compartilhe

Video

Mais vistos