Opinião
Publicada em 09/01/2019 - 23h13min

História antiga

A história não acrescenta novidade alguma no enredo. Começa sempre com o forte calor, segue com as assustadoras nuvens escuras que antecipam a noite, traz o temporal que desaba sobre a região e, no clímax, o aguaceiro deixa um rastro de alagamentos, árvores caídas, interrupção de energia, trânsito congestionado e muita - muita mesmo - gente que precisa arcar com o prejuízo. Foi assim na tarde de terça-feira, quando, por volta das 15 horas, uma chuva forte caiu sobre Mogi das Cruzes e região, e seguiu o roteiro anunciado, com duração aproximada de 40 minutos.
Por mais que as pessoas tenham aprendido a se preparar diante da iminência de um temporal, há fatores imprevisíveis que sempre surpreendem. Não é possível prever, por exemplo, qual árvore pode vir ao chão no embate contra uma ventania. Mas, sempre é prudente evitar pontos críticos às margens dos córregos para fugir dos alagamentos, que certamente virão. Regiões com precedentes de enchentes se armam com barricadas para bloquear a força das águas. Mas nem sempre esse aparato é o suficiente.
As prefeituras do Alto Tietê têm feito a sua parte, realizando atividades quando se aproxima o verão, no sentido de capacitar pessoal específico para enfrentar os alagamentos. Também realizam a limpeza periódica de bocas de lobo e das encostas dos córregos para facilitar o escoamento da água das chuvas. No final do ano passado, o grupo Mogi News publicou matérias com diversas administrações sobre o preparo da Defesa Civil nos municípios, sempre com o objetivo de estar pronta para a ocasião adversa.
Dentro do possível, até pelo alto custo que demandam, as administrações constroem piscinões para acumular o volume das chuvas e impedir que elas cheguem aos pontos mais delicados. São medidas paliativas, mas que contribuem para reduzir prejuízos. Os moradores, por sua vez, devem ficar atentos e também realizar o serviço preventivo de limpeza de bueiros nas residências e terem a consciência de que a sua contribuição é fundamental. As chuvas fortes jamais deixarão de existir, mas os problemas que elas provocam podem ser minimizados pela ação conjunta.
Compartilhe

Video

Mais vistos