Autonews
Publicada em 22/12/2018 - 16h55min

Nova estratégia

Sedã do Polo, Virtus impõe uma postura mais agressiva

Com linhas elegantes e funcionais, modelo não é simplesmente o três volumes do famoso hatch da Volkswagem

Depois do retorno do Polo, sua versão sedã chega ao mercado, mas a situação agora é outra. O nome foi embora e surgiu Virtus, uma nova denominação para um modelo que é um pouco mais do que simplesmente o três volumes do famoso hatch. Com linhas elegantes e funcionais, o Virtus aparece no momento em que a marca quer virar a página e assumir uma postura mais agressiva, algo que não é de costume da empresa. Para aproveitar a ocasião, a Volkswagen decidiu que não seria apenas um Polo com porta-malas saliente, mas um produto melhor que isso.
Assim, o Volkswagen Virtus aparece como um sedã compacto "grande" com 4,48 m de comprimento e, para corresponder ao acréscimo de tamanho, um entre-eixos mais longo: 2,65 m. Isso deu ao novo carro mais espaço no banco traseiro e um porta-malas de respeitáveis 521 litros. Tudo isso com a mesma arquitetura do Polo 2018/2019, seja em conteúdo, sofisticação, segurança e performance. Nesse caso, compartilha com o clássico alemão os motores 1.6 MSI e 1.0 TSI. Neste último caso, o usado na Avaliação NA é a versão Highline quase completa, que custa R$ 84.790 (sem incluir a pintura), mas que pode chegar a R$ 87.040 com tudo dentro.
Por fora
Com frente de Polo 2018/2019, o Volkswagen Virtus 2018 é uma reprodução do hatch da parte frontal até as colunas B. O design é esportivo e a frente é curta, com balanço igualmente pequeno. Os faróis duplos são agressivos e os LEDs diurnos com os faróis de neblina dão um toque a mais no conjunto. As rodas de liga leve são exclusivas, embora pareçam muito com as do Polo 2018/2019. Tem um desenho fluído e aro 17 polegadas na versão avaliada, sendo opcionais, é claro. Os pneus são mais largos, uma das poucas diferenças em relação ao hatch.
O material rodante parece grande demais para o sedã e passa a impressão de que o Volkswagen Virtus é menor do que realmente é. Os retrovisores com luzes de direção são pequenos e semelhantes aos do Audi A3 Sedan. O aplique lateral nos para-lamas com a inscrição da versão parece agora padrão nos novos VW, pois também está no Novo Jetta, agora um irmão maior do Volkswagen Virtus.
A silhueta da carroceria, com leve queda sobre a tampa é atraente, assim como o conjunto traseiro com lanternas duplas e escurecidas, bem como os faróis. Elas também lembram o pequeno sedã luxuoso do grupo alemão. O para-choque com detalhes cromados realça o conjunto do Virtus.
Por dentro
Mesmo não tendo mais aquele acabamento premium do antigo Polo Sedan, o Volkswagen Virtus Highline 2018 não é de todo ruim nesse aspecto. A nova realidade não emprega materiais nobres ou sofisticados, mas aposta numa impressão visual melhor e em conteúdo high tech para compensar essa redução de custos.
Então, vale adicionar um cluster digital com tela de 10,25 polegadas e mais de 100 configurações possíveis no display, que tem basicamente três padrões de visual, incluindo uma vistosa (apenas no navegador, diga-se de passagem) tela inteira, que chama atenção de qualquer um. Dá um status a mais ao sedã, sendo um item que só existe em modelos mais caros da marca, e também, claro, no irmão Polo. Com alguns toques, muda-se rapidamente o estilo do painel, mas é preciso tempo para decorar tudo.
  • Tela de 10,25 polegadas é um dos destaques
  • Pneus são mais largos, uma das poucas diferenças em relação ao hatch
  • Virtus aparece como sedã compacto "grande", com 4,48 m de comprimento e, para corresponder ao tamanho, um entre-eixos mais longo: 2,65 m
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos