Esportes
Publicada em 05/11/2018 - 23h43min

Nayara Francesco*
medalha de bronze

Seleção de Amputados termina em terceiro lugar no Mundial

Após empate em 0 a 0, time venceu os donos da casa nos pênaltis por 5 a 4, em San Juan dos Lagos, no México

Foto: Divulgação

Jogadores brasileiros comemoram a medalha de bronze no Mundial do México
A seleção brasileira de Futebol de Amputados ficou em terceiro lugar na Copa do Mundo realizada no México, na cidade de San Juan dos Lagos. A vitória por 5 a 4 veio na partida contra o anfitrião, nos pênaltis, após empate de 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação. Em 2014, a seleção ficou em quinto lugar, após bater a Ucrânia, o que fez o campeonato de 2018 ser um grande avanço para a equipe.
O vencedor da Copa foi o time da Angola. A equipe se consagrou após vencer a Turquia também nos pênaltis, com placar de 5 a 4. Os angolanos jogaram contra os brasileiros na semifinal e venceram pelo placar de 2 a 1 na prorrogação. A oitava de final foi contra a França, vencida por 2 a 1, e a quarta de final foi contra a Inglaterra, conquistada por uma goleada de 5 a 1.
Foram sete partidas no Mundial, sendo que as três primeiras foram realizadas na fase de grupos. O Brasil ganhou da Nigéria por 6 a 0 (com três gols de Rogerinho, dois de Allan e um de Formiga), depois venceu El Salvador por 1 a 0, com gol de Rogerinho, e empatou a terceira partida, contra a Rússia, com placar 0 a 0.
Ao todo, participaram 24 países. No placar final, os brasileiros ficaram à frente da campeã de 2014, Rússia, Inglaterra, Polônia e da dona da casa, o México.
O craque camisa 9, Rogério Almeida, o Rogerinho, comentou que, mesmo sem o apoio do governo, somente com algumas parcerias e com a ajuda dos jogadores, foi o suficiente para fortalecer o time para conquistar a medalha de bronze. "O terceiro lugar coroou nosso trabalho de um ano inteiro, em que estivemos em cinco fases de treinamento e diversos atletas sendo avaliados. Montamos uma comissão muito forte, além de novos jogadores. Mesclamos atletas novos com experientes e lutamos muito, queríamos o título, mas não foi dessa vez", afirmou, completando que está feliz com o resultado do mundial.
O atacante contou ainda que agora os atletas vão descansar e aproveitar a conquista. "Desde 2005, a seleção não subia no pódio. Ficar em terceiro lugar mostra que estamos crescendo cada vez mais", avaliou. Além do troféu em terceiro, o goleiro Gabriel da seleção ganhou um troféu por ser o atleta que levou menos gols e Rogerinho foi vice artilheiro, com 8 gols marcados.
Em 2019, a seleção jogará a terceira edição da Copa América, na qual pretende buscar o quarto título. A preparação do time começará em fevereiro, com o objetivo de estruturar a seleção para fortalecer os jogadores.
* Texto supervisionado pelo editor.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos