POP TV
Publicada em 05/10/2018 - 23h38min

Estadão Conteúdo
Dramaturgia

de vilã à mãe protetora

Julia Lemmertz estreia "Espelho da Vida", novela que mistura espiritismo, mistério e magia

Foto:

Atriz dá vida à Ana, uma mulher comum, uma mãe maravilhosa, uma grande artista que tem uma profunda ligação com a filha. Ela vive um dilema interno: quer ser uma mãe legal, mas sempre acha que alguma coisa pode acontecer
Nova novela de Elizabeth Jhin, "Espelho da Vida" estreou no dia 25 de setembro, na Globo, na faixa das 18 horas - no lugar de "Orgulho e Paixão" -, trazendo parte significativa do elenco do folhetim anterior da autora, "Além do Tempo", exibida entre 2015 e 2016. Entre esses nomes, está a atriz Julia Lemmertz. "Espelho da Vida" marca a segunda parceria de Elizabeth e Julia. Em "Além do Tempo", ela roubou a cena como Doroteia, uma "mulher meio destrambelhada, meio engraçada", como define a própria Julia. No meio do caminho, entre as duas novelas, ela deu vida à vilã Greta, em "Novo Mundo" (2017). Agora, ela interpreta um papel numa frequência diferente das anteriores: faz Ana, mãe da mocinha da trama, Cris Valência (Vitória Strada).
Ana e seu marido, Flávio (Ângelo Antônio), padrasto de Cris, são dois artistas, especializados em madeira. Cris considera Flávio como seu verdadeiro pai, uma vez que ela não conviveu com o pai biológico, o desleal Américo (Felipe Camargo). Já Ana tem uma forte ligação com a filha, a ponto de sentir tudo o que Cris sente, mesmo quando ambas estão longe. No entanto, a volta de Américo vai tumultuar a vida da família após ele ficar sabendo que Cris, que é atriz de teatro, namora um badalado diretor, Alain Dutra (João Vicente de Castro), e vai protagonizar um filme que será rodado em Rosa Branca. Vai pairar a dúvida se ele quer recuperar a relação com a filha ou tirar vantagem dela. 
"Ana é uma mulher comum, uma mãe maravilhosa, super do bem, é uma artista, ela tem uma ligação com a filha muito profunda. Ela vive um dilema interno: quer ser uma mãe legal, mas sempre acha que alguma coisa pode acontecer", Julia descreve a sua personagem. "Então, esse lugar do cotidiano, do bom, do correto, do humano, é difícil de fazer, acho que é mais fácil você fazer o vilão, que você vai lá e desenha algo. Assim é tão simples que é difícil: ela é tão do bem, qual a falha dela?"
Em "Espelho da Vida", Elizabeth Jhin retoma os ingredientes que fazem de suas histórias novelas bem-sucedidas, misturando espiritismo, mistério e magia.Ao chegar à Rosa Branca, cidade fictícia de Minas Gerais, para rodar o filme sobre a história real de Julia Castelo, que foi assassinada, vítima de um crime passional, na década de 1930, a protagonista Cris Valência vai descobrir que ela própria foi Julia em sua vida passada. E pessoas que fazem parte de sua vida atual estavam presentes no dia a dia de Julia. Além disso, a trama vai se concentrar nos dias de hoje, e só Cris vai 'viajar' no tempo. 
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos