Cidades
Publicada em 08/08/2018 - 23h22min

Lílian Pereira
Denúncia

Paciente contrai bactéria após cirurgia no Luzia de Pinho Melo

Depois de passar pelo procedimento de retirada do apêndice, a administradora Julia Cristina Rocha Menezes, de 25 anos, contraiu uma bactéria e está internada desde o último dia 23, no Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes

Foto: Vitoria Mikaelli

Direção do hospital questionou as acusações
Depois de passar pelo procedimento de retirada do apêndice, a administradora Julia Cristina Rocha Menezes, de 25 anos, contraiu uma bactéria e está internada desde o último dia 23, no Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes. De acordo com os familiares, um médico informou que essa bactéria foi contraída no hospital, já que sua existência é apenas no ambiente hospitalar.
A cirurgia pela qual Julia passou é considerada simples, porém as complicações ficaram evidentes logo após a alta do hospital, que aconteceu na sexta-feira, dia 27. No dia seguinte, ela precisou retornar ao Luzia, pois não estava se sentindo bem. Lá, passou por um exame de tomografia e retornou para casa, mas passou mal novamente e voltou ao hospital. A situação a levou a passar por outro procedimento cirúrgico, no último dia 30, para a retirada de uma infecção, que havia sido constatada no exame.
"Ela deu entrada no Luzia para fazer uma cirurgia simples, teve alta com a barriga inchada e com dor, mas sem fazer nenhum tipo de exame. Sábado, passou mal e voltou, fizeram uma tomografia e ela foi para casa, passou mal de novo e uma médica viu a tomografia e disse que tinha de operar. Fizeram um corte gigantesco para poder tirar a infecção. O médico que fez a cirurgia disse que o estado já estava grave, que o intestino estava todo grudado e que teve de lavar todos os órgãos", ressaltou a irmã da paciente, a jornalista Fernanda Fernandes, 30.
Ao passar pela segunda cirurgia, a administradora foi encaminhada ao quarto e, para a família, estava se recuperando, até que foi descoberto no início desta semana que ela havia  contraído uma bactéria. Com isso, foi preciso trocar o antibiótico para combater o problema. Fernanda relatou que, mesmo sabendo da bactéria no início da semana, a irmã só recebeu o medicamento anteontem.
"O médico disse que ela estava com uma bactéria e ia trocar o antibiótico. Ela saiu do hospital com essa infecção e só foram dar o remédio para ela ontem (terça-feira), ou seja, ficou com a bactéria se alastrando. É uma bactéria hospitalar, pegou dentro do hospital, o médico falou", disse.
Outra situação narrada por Fernanda é que anteontem a caldeira que esquenta a água dos chuveiros para os pacientes tomarem banho queimou. "Todos os pacientes internados estão há 24 horas sem tomar banho, estão tomando banho de leito, aquele de lencinho. Só que,  assim, o hospital é uma casa de bactérias. Minha irmã não está isolada, está junto com outros pacientes no quarto e sem banho há mais de 24 horas", concluiu.
A reportagem questionou a Secretaria de Saúde do Estado sobre o caso. Segundo informações do órgão, os banhos estão sendo realizados normalmente e os pacientes não chegaram a ficar mais de 24 horas sem a devida higiene. Em relação a Julia, a pasta informou que ela está recebendo a medicação necessária e que não dá para confirmar o local onde contraiu a bactéria.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos