Esportes
Publicada em 07/07/2018 - 19h08min

Projeto Catar

CBF garante continuidade de Tite: 'só vai sair se ele quiser'

Segundo dirigentes da entidade máxima do futebol brasileiro, permanência depende do próprio treinador

Foto: Divulgação

Tite fugiu das perguntas, mas deixou claro sua vontade de permanecer no cargo
 
Tite continua sendo o técnico da seleção brasileira, apesar da derrota para a Bélgica nas quartas de final da Copa do Mundo. Ao desembarcar em Moscou vindos de Kazan já na madrugada de ontem (no horário local), a delegação da CBF confirmou que o treinador não perde o seu cargo e que não há nem mesmo a necessidade de uma negociação.
"Não há nem mesmo um debate sobre isso", afirmou um dos principais dirigentes da cúpula da CBF, na condição de anonimato, ao ser questionado sobre o futuro do comandante.
O presidente da CBF, coronel Antônio Nunes, não escondia sua insatisfação com o resultado e, apressado ao ver a reportagem do Estado, se recusou a falar. Ao ser questionado se Tite continuaria no cargo, apenas murmurou: "Isso é pergunta que se faça?". Sua recusa foi justificada por um assistente: "Ele está muito triste".
A cúpula da CBF, porém, insistia em declarar categoricamente ao entrar pelo hotel de Moscou que Tite continuaria. "O técnico da seleção brasileira é Tite e nos próximos dias a CBF emitirá um comunicado sobre isso", apontou a fonte.
Rogério Caboclo, presidente eleito da CBF e que assume o cargo em 2019, permaneceu com a comissão técnica em Kazan e não viajou com o restante do grupo para Moscou.
Outra fonte do alto escalão da CBF também confirmou ao Estado que o plano da entidade é de manter o treinador. Mas indicou que a decisão final terá de vir do próprio Tite. "Ele só não fica se não quiser", afirmou.
Novo contrato
A intenção é oferecer ao treinador um novo contrato - o atual termina agora - pelo período de quatro anos, encerrando-se no Mundial do Catar, em 2022. O treinador gosta da ideia, mas na sexta-feira passada disse ser cedo para resolver a situação.
O trabalho de Tite, iniciado no segundo semestre de 2016, ainda com a CBF sob o comando de Marco Polo Del Nero, hoje banido do futebol pela Fifa, é bem avaliado pela nova diretoria da entidade. Os dirigentes consideram que ele e seus pares implementaram conceitos modernos de preparação e planejamento e que o trabalho de campo é de alto nível.
Na sexta-feira, Tite preferiu não falar sobre o futuro, mas revelou o desejo de ficar. "Toda vez que um técnico consegue desenvolver o trabalho com um tempo maior, consegue desenvolver melhor. Quanto mais tempo com o atleta, mexe mais com o técnico, o emocional".
Se for mantido até 2022, será a primeira vez que um treinador continuará à frente da seleção desde Zagallo entre 1970 e 1974. Telê Santana foi o treinador em 1982 e 1986, mas não de forma ininterrupta neste período de quatro anos entre as Copas da Espanha e do México.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos