Esportes
Publicada em 03/07/2018 - 23h17min

Estadão Conteúdo
Dupla dinâmica

Zagueiros comentam sobre bom desempenho na Copa do Mundo

Miranda e Thiago Silva viram seleção sofrer apenas um gol na Rússia; nos últimos 25 jogos, Brasil levou seis gols

Foto: Divulgação

Dupla enalteceu trabalho em equipe, já que marcação começa no campo de ataque
Um gol sofrido em quatro jogos na Copa do Mundo Rússia 2018, e apenas seis em uma sequência de 25 jogos desde que o técnico Tite assumiu a seleção brasileira. Apenas uma derrota neste período. Em entrevistas, os jogadores usam a expressão "saber sofrer" para explicar a manutenção do ótimo desempenho do sistema defensivo.
Capitão na vitória contra o México por 2 a 0, o zagueiro Thiago Silva é um dos pilares deste ótimo aproveitamento na Copa. O camisa 2 explica que o termo significa a percepção do time sobre os momentos em que são necessários os esforços coletivos durante o jogo. E elogia o papel de toda a equipe na estrutura de defesa, que começa lá no ataque. "Para nós defensores é muito gratificante sair de cada jogo sem sofrer gols, com a equipe fazendo lá na frente. Os nossos jogadores do ataque também têm tido grande parcela de compreensão (do sofrer junto)", elogia.
Agora o Brasil terá a Bélgica pela frente, equipe que possui um dos melhores ataques da Copa do Mundo. Miranda ressalta também a qualidade das peças de reposição do Brasil na Copa para explicar o bom desempenho atrás. O camisa 3 destaca as entradas dos dois laterais Fágner e Filipe Luís. A dupla soube aproveitar a oportunidade e manteve o nível de seus antecessores. "Aqui na seleção só tem jogadores de grandíssimo nível. Todos esperando uma oportunidade. Não só o Fagner e o Filipe. Todos aqueles que vêm entrando estão aproveitando a oportunidade".
Máquina de gols
Única seleção que participou de todas as edições de Copas do Mundo, a maior campeã, com cinco títulos, e agora a recordista de gols. O gol de Neymar que abriu o placar para a Canarinho diante do México pelas oitavas de final da Copa do Mundo FIFA 2018 colocou o Brasil como o país que mais vezes balançou as redes em Mundiais. No total, a seleção brasileira balançou as redes 228 vezes nos 21 Mundiais que participou.
Neymar se isolou como o quarto maior artilheiro da história da Canarinho com 57 gols. O seleto grupo é liderado por Pelé, o maior jogador de todos os tempos, com 95 bolas na rede. No segundo lugar, vem o fenômeno Ronaldo, com 67 gols marcados, uma a mais do que Zico, com 66, no terceiro lugar.
Já em uma única edição de Copa do Mundo, o maior artilheiro brasileiro é Ademir Menezes, no Mundial de 1950, disputado no Brasil, com nove gols. O vice-artilheiro é Ronaldo Fenômeno, na Copa de 2002, na Coreia do Sul e Japão, com oito gols. No Mundial da França, em 1938, Leônidas da Silva marcou sete gols.
Douglas Costa
As lesões não parecem mais ser um problema para Tite antes do duelo com a Bélgica, pelas quartas de final da Copa do Mundo. Ontem, no dia seguinte ao triunfo por 2 a 0 sobre o México, em Samara, a seleção brasileira retomou a sua rotina de atividades em Sochi com a presença do meia-atacante Douglas Costa, recuperado de contusão, assim como do lateral-esquerdo Marcelo. 
Douglas Costa sofreu lesão na coxa direita nos minutos finais da vitória por 2 a 0 sobre a Costa Rica, em 22 de junho, e vinha desfalcando a seleção brasileira desde então.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos