Cidades
Publicada em 13/06/2018 - 23h25min

Lílian Pereira
Transporte por aplicativo

Projeto para regulamentação passa pelas últimas revisões

Proposta de autoria do Executivo pode, se for aprovada, arrecadar mais de R$ 140 mil por dia com a atividade

Foto: Divulgação/CMMC

Segundo o vereador Komura, só em Mogi há 1,2 mil motoristas cadastrados
Um projeto do Executivo para a regulamentação do transporte por aplicativos de celular, como o Uber, por exemplo, está prestes a entrar na Câmara Municipal. A informação foi divulgada ontem, durante sessão, pelos vereadores, que ressaltaram que o município só tem a ganhar com a arrecadação caso o projeto seja aprovado. A Prefeitura de Mogi das Cruzes informou que o projeto de lei está passando pelas últimas revisões para poder ser encaminhado para análise da Câmara.
O assunto foi levantado pelo vereador Pedro Komura (PSDB), que esteve semana passada em uma audiência com o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), na cidade de São José dos Campos. "O que me surpreendeu foi o discurso do prefeito de São José, que falou sobre a receita mensal da cidade. Por coincidência, tive uma audiência com motoristas do Uber e fiquei surpreso com os números", apontou. De acordo com um levantamento do parlamentar, só em Mogi há 1,2 mil motoristas de aplicativos cadastrados.
Outro ponto que Komura ressaltou foi o valor que a cidade está deixando de arrecadar por não ter uma regulamentação para o tipo de transporte. Ele diz que, em média, cada motorista faz vinte corridas por dia e o valor médio de cada uma na cidade está entre R$ 6,10 e R$ 7. Com isso, a cidade está deixando de arrecadar mais de R$ 140 mil por dia. "Temos que regulamentar essa atividade como já foi pelo Congresso nacional. A população aprova, não vai concorrer com taxistas, vai concorrer com o transporte público, é um aplicativo que todo mundo utiliza e a cidade está deixando de arrecadar tributos", ressaltou o parlamentar.
A Comissão Especial de Transportes, que tem como presidente o vereador Claudio Miyake (PSDB), confirmou que o projeto está pronto e falta ser encaminhado para a Câmara. "O projeto já está pronto, já está nas mãos do prefeito e falta ser encaminhado para a Câmara para a apreciação. Vai ser um benefício para a cidade", afirmou.
Sem remendo
O vereador Otto Rezende (PSD) fez uma indicação se referindo a ruas com "remendos", ou seja, ruas de paralelepípedo que recebem asfalto por cima em alguns pontos. De acordo com o vereador, é um assunto que incomoda e está no dia a dia da cidade. "Eu trabalho na avenida Braz de Pina e temos uma rua bonita, piso permeável, e com o passar do tempo a reposição das falhas por algum motivo é jogado por cima do paralelepípedo. Com isso, estamos tendo uma cidade repleta de emendas", apontou. O parlamentar pede na indicação para que sejam contratados calceteiros, que são pessoas que trabalham com calçamentos de ruas.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos