Opinião
Publicada em 16/05/2018 - 23h28min

Cedric Darwin

Recessão

A divulgação do resultado do Índice de Atividade Econômica do Banco Central, o IBC-Br no final deste mês irá revelar em números o que todo Brasil já sabe, a recessão não nos deixou. Com uma retração estimada em 0,15% no primeiro trimestre desse ano há retomada da recessão que não foi observada em 2017.
Com números tímidos em 2017, mas positivos, agora o primeiro trimestre desse ano apontou para baixo, houve retração. Mas isso não é difícil de perceber, de sentir ou mesmo de viver. Os consumidores em geral puxaram o freio de mão e só compram o que é necessário, ninguém se aventura em financiamentos e o desemprego continua na marca histórica de 14 milhões. Segundo o presidente Temer, no melhor estilo Dilma, "não foi o desemprego que aumentou, o que aumentou foi o número de pessoas procurando emprego". Não é fácil retomar o crescimento desse jeito. Um governo totalmente descompromissado com mudanças que de fato fazem a diferença, como a reforma tributária e o incentivo ao pequeno empregador que gera a grande massa de empregos.
Ao invés disso, aprovaram uma reforma trabalhista que trouxe prejuízos ao empregado e não gerou emprego, pelo contrário. A desculpa era essa, modernizar a legislação para gerar empregos. Aprovada a reforma o que se assistiu foi o aumento do desemprego, ou seja, a reforma trabalhista gerou mais desemprego por facilitar a demissão de empregado. Se o motor de nossa economia é o consumo interno, com 14 milhões de desempregados só podemos viver essa recessão econômica.
A reforma da previdência também é outra mentira que só ira prejudicar os mais pobres e necessitados, precisamos de uma reforma do Estado, com seu encolhimento assim como a invencível carga tributária, cuja arrecadação já beira um trilhão de reais esse ano.
A nós, cumpre a fundamental missão de escolher um congresso minimamente honesto e comprometido com as mudanças de nossa condição econômica, não dá para reeleger que aprovou reforma trabalhista e pretende aprovar reforma previdenciária.
Compartilhe

Video

Mais vistos