Tribuna
Publicada em 10/05/2018 - 11h20min

Claudia Irente

Tribuna

Balanço
A Suzano Papel e Celulose divulgou o balanço referente ao primeiro trimestre de 2018, com uma geração de caixa operacional de R$ 1,3 bilhão, o melhor resultado da história da empresa para primeiros trimestres.
Recorde
O balanço recorde da Suzano Papel e Celulose é consequência dos avanços operacionais alcançados ao longo dos últimos trimestres, do forte controle de despesas e do ambiente favorável no mercado internacional de celulose. No acumulado entre abril de 2017 e março de 2018 (últimos 12 meses), a geração de caixa operacional alcançou R$ 4,2 bilhões, marca inédita na história de 94 anos da Suzano.
JSL
A JSL também evoluiu no mercado de papel e celulose. O setor segue mantendo importante parcela na composição da receita bruta da JSL, maior empresa de operações logísticas do Brasil. Em sua última divulgação de resultados referente ao fechamento do ano de 2017, o segmento registrou fatia de 15,6% na composição da receita bruta da companhia, à frente de 13% no resultado consolidado de 2016. Em 2017, a receita bruta total de serviços foi de R$ 4,9 bilhões – um crescimento de 3,6% em comparação aos 12 meses do ano anterior.
Celulose
O mercado de celulose, especificamente, tem apresentado um cenário de crescimento. Segundo dados da Ibá (Indústria Brasileira de Árvores), a produção brasileira de celulose, em 2017, subiu 3,8% em comparação a 2016, atingindo o volume recorde anual de 19,5 milhões de toneladas.
Produção e exportações
As exportações da matéria-prima do papel subiram 2,3% e geraram uma receita de 6,4 bilhões de dólares em 2017 (14% maior na comparação com o ano anterior). Ainda segundo a entidade, o papel apresentou aumento na produção de 1,4% em 2017 sobre 2016 - 10,5 milhões de toneladas produzidas. As exportações do produto encerraram o ano passado com ligeira alta de 0,5%, somando 2,11 milhões de toneladas.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos