Brasil e mundo
Publicada em 11/04/2018 - 23h39min

Intervenção

General nega paralisação de ações no Rio por problema orçamentário

O ministro interino da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, afirmou, após cerimônia no Palácio do Planalto que não há ações represadas na intervenção da segurança no Rio de Janeiro por problemas orçamentários e que a verba de R$ 1,2 bilhão definida pelo presidente Michel Temer (MDB) ainda não foi operacionalizada. "Existe todo um planejamento desse recurso. A priorização e destinação para onde vão", disse o general que anunciou que ontem foi assinado o decreto com a criação de 67 cargos para trabalhar na intervenção. 
Segundo informações obtidas pelo jornal O Estado de S. Paulo, as ações no Rio estão atualmente sendo feitas com recursos remanejados da Defesa e do Estado do Rio. "Represadas (as ações) talvez não tenha representado bem a ideia. Tem certas ações que estão planejadas para serem executadas, mas não há nada represado por problema orçamentário", disse. Luna e Silva disse que a intervenção está indo "no ritmo". "É toda uma organização a ser feita. Uma intervenção não se toca do dia para a noite", afirmou. (E.C.)
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos