Cidades
Publicada em 14/11/2017 - 21h36min

Luana Nogueira
Alerta

Prefeitura estuda imunização massiva contra febre amarela

Mesmo com a negativa da doença para o macaco morto em Santa Isabel, doses da vacina poderão ser ampliadas

Foto: Renato Kawasaki/CMMC

Secretário Cusatis foi à sessão de ontem expor as ações propostas ao Estado
A Prefeitura de Mogi das Cruzes vai fechar o plano de contenção da febre amarela até segunda-feira. A administração municipal aguarda orientações da Secretaria de Estado da Saúde para concluir as medidas que serão adotadas no município. Inicialmente, a população que mora nas regiões consideradas prioritária, próximas da mata, começará a receber a imunização no fim da semana. A Prefeitura não descarta a vacinação massiva da população.
O secretário de Saúde, Marcello Cusatis e a equipe da pasta, participaram ontem de uma reunião na Câmara para informar quais ações estão sendo tomadas pela administração municipal para barrar e combater a febre amarela em Mogi. Cusatis afirmou que não existe motivo para preocupação ou alarde nos mogianos, pois a cidade não registrou casos confirmados da doença.
De acordo com o secretário, a atual estratégia é imunizar a população que vive na área prioritária, como perto de matas e Zona Rural. A expectativa é que para essa etapa sejam necessárias cerca de 200 mil doses da vacina, o que deve começar a chegar nos próximos dias. A decisão de estender a imunização para toda a população será tomada em conjunto com o Estado. Hoje, existem pouco mais de mil doses nas cinco unidades de saúde que disponibilizam a vacina. Caso haja necessidade de ampliar a imunização, novos pontos de vacinação serão abertos.
Amanhã, Cusatis informou que entrará em contato com os Pronto Atendimentos tanto da rede pública quanto particular para solicitar a notificação no mesmo dia de casos suspeitos da febre amarela. Na segunda-feira, ocorrerá uma reunião com todos os secretários municipais e o prefeito Marcus Melo (PSDB) para fechar as ações de prevenção e bloqueio da doença.
Hoje, Custais afirmou que a recomendação é realizar a vacinação na área prioritária em 30 dias e no restante em 60 dias. A Prefeitura tem realizado a orientação dos moradores nas áreas rurais e prioritárias, como o Taboão e área do Itapeti, além de fazer o monitoramento dos macacos para ver se existe algum doente. O secretário disse que também pode ser estudada a restrição do acesso aos locais que têm trilha na mata, como o caso do Parque Municipal. Desde 2008, Mogi só teve um caso da doença, importado de Goiânia. Nesse ano, foram sete notificações. 
Negativo
A Prefeitura de Santa Isabel informou ontem que o resultado da necropsia do macaco encontrado morto no bairro Cachoeira deu negativa para Febre Amarela. O exame foi realizado pelo Instituto Adolfo Lutz.
Segundo o secretário Cusatis, mesmo com a negativa da morte do animal para a doença, a estratégia será mantida. "Não muda em nada. Aguardamos retorno das ações propostas ao Estado", confirmou.

Quadro

Área prioritária
Volta Fria
Vila Industrial
Mogilar
Área periurbana de Jundiapeba
Área periurbana de Brás Cubas
Jardim São Pedro
Vila Suissa
Botujuru
Rodeio
Ponte Grande
Jardim Araci
Chácara Guanabara
Residencial Itapeti
Sabaúna
Jardim Vieira
Moralogia
Beija-Flor
Novo Horizonte
Jardim Margarida
Piatã
Aruã
Monterey Ville
Taboão
Fonte: Secretaria Municipal de Saúde
 
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos