Cidades
Publicada em 14/11/2017 - 19h47min

Segurança

Placas na Lagoa Azul são instaladas

Passados mais de dois meses desde a morte de um jovem de 18 anos na Lagoa Azul e somente após cobrança feita pelo Dat, a Prefeitura de Suzano finalmente instalou placas informando o risco de afogamento na área pública, que segue aberta na entrada pela avenida Senador Roberto Simonsen, no Jardim ImperadorA reportagem esteve no local no último dia 8 e no final de semana passado

Foto: Vitoria Mikaelli

Sinalização no espaço foi colocada após cobrança feita pela reportagem do Dat
Passados mais de dois meses desde a morte de um jovem de 18 anos na Lagoa Azul e somente após cobrança feita pelo Dat, a Prefeitura de Suzano finalmente instalou placas informando o risco de afogamento na área pública, que segue aberta na entrada pela avenida Senador Roberto Simonsen, no Jardim Imperador
A reportagem esteve no local no último dia 8 e no final de semana passado. Nas duas ocasiões conferiu que as orientações sobre a proibição de nadar no local estavam instaladas, conforme a administração municipal havia prometido ainda em setembro, quando foi registrada nova morte no local.
Na última sexta-feira, a Secretaria de Segurança Cidadã de Suzano informou que a "Guarda Civil Municipal (GCM) acompanhou a instalação das placas no entorno da Lagoa Azul, mas que poderia ter ocorrido algum tipo de vandalismo recentemente e que as equipes iriam verificar a situação". Vale lembrar que a única placa informativa e já bastante antiga existente na área pública não sofreu o suposto ato de vandalismo e, inclusive, ainda permanece no local.
Coincidentemente, no mesmo dia foram instalados novos avisos sobre os riscos da lagoa em pelo menos cinco pontos diferentes. O Dat esteve no local ontem e conferiu as novas placas, que foram fixadas em postes e também nas grades que deveriam isolar a lagoa.
Em nota, a Secretaria de Segurança Cidadã informou também que, em razão da proximidade do verão e das férias escolares, "o comando da GCM estuda a intensificação do patrulhamento preventivo na área, para inibir a utilização do espaço e, consequentemente, diminuir os riscos de afogamento". A expectativa é que a Prefeitura conclua o estudo o quanto antes, já que as invasões no local são constantes.
Caso
O estudante Matheus dos Santos Vargas morreu afogado na Lagoa Azul no final de setembro após decidir nadar na companhia de um amigo. Quatro viaturas, 16 bombeiros e seis mergulhadores foram mobilizados, mas o rapaz, que foi encontrado já sem vida.
Compartilhe

Video

Mais vistos