Brasil e mundo
Publicada em 03/11/2017 - 20h36min

Agência Brasil
Economia

Petrobras aumenta preço do gás de cozinha em 4,5%

Reajuste vai valer a partir deste domingo e se deve, segundo a companhia, pela alta das cotações internacionais

Foto: Divulgação

Preço em botijões residenciais terá alta amanhã
Os preços do gás de cozinha para uso residencial em botijões de até 13 kg (GLP P-13), vão aumentar em 4,5% nas refinarias, em média, a partir da 0h de amanhã. Segundo a companhia, a causa principal do reajuste é a "alta das cotações do produto nos mercados internacionais, influenciada pela conjuntura externa e pela proximidade do inverno no hemisfério norte". Ainda conforme a companhia, a variação do câmbio também contribuiu para a necessidade do aumento.
A Petrobras informou que a elevação foi aplicada sobre os preços praticados nas refinarias sem incidência de tributos. Como a legislação brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, o preço para o consumidor dependerá de cada distribuidora e revendedora.
Pelos cálculos da companhia, se a alta for repassada integralmente aos preços finais, o preço do botijão de GLP P-13 pode ser reajustado, em média, em 2%, cerca de R$ 1,21 por botijão, caso sejam mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.
De acordo com a Petrobras, o reajuste acompanha a política de preços divulgada no início de junho. O último aumento entrou em vigor no dia 11 de outubro deste ano. A alteração valerá a partir de domingo não se aplica ao gás liquefeito de petróleo (GLP) destinado a uso industrial e comercial. 
Comércio e indústria
A Petrobras anunciou, no último dia 1º, um reajuste médio de 6,5% dos preços de comercialização às distribuidoras do gás liquefeito de petróleo (GLP) destinado aos usos industrial e comercial. O aumento entra em vigor na última quinta-feira.
O reajuste não se aplicou aos preços do GLP para uso residencial, o gás de cozinha, comercializado pelas distribuidoras em botijões de até 13 quilos (Kg), que, no entanto, terão aumento de 4,5% já a partir de amanhã.
Em nota divulgada anteriormente, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) havia informado que o aumento de preço ficaria entre 4,5% e 7,7% para o consumidor, dependendo do polo de suprimento.
Com o aumento de preços, a estimativa do Sindigás é que o valor do produto destinado a embalagens maiores que 13 Kg ficará 46% acima da paridade de importação.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos