Editorial
Publicada em 18/10/2017 - 23h20min

Diálogo

Parece que a época de seguir padrões pré-estabelecidos pela sociedade está se esvaindo com o tempo e, cada vez mais, as pessoas buscam meios para ser feliz à sua maneira. Os indivíduos não querem mais esconder o seu verdadeiro "eu" apenas para satisfazer o outro, todos têm a possibilidade de conquistar um espaço na sociedade. É preciso deixar claro que aqui não está em jogo questões sociais e as faltas de oportunidades, mas sim, as características e peculiaridades de cada um.
Hoje, enfim, opções ligadas à sexualidade, à família - como a de não ter filhos - ou até de não construir um lar nos moldes tradicionais, são bem mais aceitas por essa sociedade que, por vezes, parece estar em evolução. Pelo menos se comparado a outros tempos, quando uma mulher, pelo simples fato de ser divorciada, independentemente do motivo, já não era vista com bons olhos.
É por essas e outras mudanças na sociedade que os pais precisam individualizar a criação dos filhos e não generalizá-la. Ainda é normal ouvir uma mãe dizer: "Amo meus filhos iguais", ou o lamento "Onde foi que eu errei na criação?"; "Como consegui criar um filho da maneira que planejei e não tive o mesmo sucesso com o outro?". Primeiramente, é preciso aceitar que o que você planeja de melhor pode não valer para o seu filho. Ou pode valer para um e não para outro. Isso acontece porque cada pessoa tem a sua essência, independentemente da criação. O que muitas vezes acontece é que os pais banalizam a maneira de educar. E fazem isso quando criam filhos de maneira padronizada. Cada um tem seus anseios e suas dificuldades particulares, tornando a tarefa de utilizar apenas um meio de criação, impossível.
Por isso, cabe aos pais aceitar o filho como ele é e educá-lo conforme suas características. A melhor maneira para se achar esse caminho é o diálogo. Quando uma criança pede alguma coisa, a pior forma de negar é dizendo "porque não". Argumentar e pontuar a sua decisão ajudará a formar um adulto com mais senso crítico e mais aberto. Dá mais trabalho, sem dúvida. Mas o resultado futuro será muito melhor.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos