Capa | Matéria
Publicada em 04/11/2017 - 20h22min

Sueller Costa
Capa

Um grupo comprometido com o ensino significativo

Aulas diferenciadas, com direito a debates, pesquisas, práticas e experiências significativas fazem parte do cotidiano da Emef Waldemar Costa Filho, de Biritiba Mirim. Cada temática desenvolvida nas diferentes disciplinas trabalhadas durante o ano escolar ganha um novo olhar por parte dos professores, que, com o objetivo de instigar o interesse dos alunos e tornar o aprendizado mais prazeroso, produtivo e repleto de sentidos, se apropria de dinâmicas diferenciadas a fim de explorar os potenciais dos estudantes. O professor Luiz Gustavo Batista é um desses profissionais que não abrem mão de uma aula envolvente. Recentemente, ele desenvolveu um exercício interessante para abordar o “artigo de opinião” com a sua turma do 5º ano do Ensino Fundamental I.

Sacolas plásticas: sim ou não?
Com base na leitura de um texto sobre o projeto de lei nº 15.374/11, que foi criado para banir as sacolas plásticas, por considerar que o seu uso prejudica o meio ambiente, os alunos discutiram acerca dos prós e contras desta determinação que ainda está em análise e ainda não se transformou em lei. Apesar de ter sido lançada em 2011, o assunto ainda gera muitas discussões. E os alunos mostraram muito bem isso! Divididos em dois grupos, cada um, por meio do estudo do tema, a pesquisa com a comunidade e experiências pessoais, defenderam as suas ideias e mostraram que conhecimento, autonomia, participação, criticidade, argumentação fizeram parte de todo o trabalho.

Debate e prática em sala de aula
O primeiro grupo, que recebeu o nome de “#sacola sim”, defendeu o uso das sacolas. Os estudantes falaram sobre o desemprego que geraria com a sua extinção, além das suas utilidades funcionais no mundo moderno. Também elencaram que outros meios, como o papelão ou sacolas biodegradáveis, por exemplo, que poderiam ser colocados como substituição, também apresentam pontos negativos. Já a segunda equipe, intitulada “A Natureza Limpa”, concordou em banir as sacolas. Estes alunos falaram, principalmente, sobre a poluição ambiental, e apresentou dados sobre o tempo de decomposição do plástico, e as soluções para substituir o objeto. Ambas as apresentações mostraram argumentos contundentes sobre o assunto.

Interdisciplinaridade
Os dois grupo apresentaram seus estudos para convidados especiais, além da equipe gestora, para representantes da secretaria de Educação e até mesmo para o prefeito da cidade, que fizeram questão de acompanhar. Após as argumentações, cada convidado expôs sua opinião acerca do tema e sua posição sobre o uso ou não das sacolas. Todos se surpreenderam com os alunos, não só pela apresentação como também pelo envolvimento e dedicação ao trabalho. “Independentemente da posição de cada aluno, ambos os grupos destacaram algo muito importante, a conscientização. Eles despertaram a importância de se preocupar e agir em prol do meio ambiente. A intenção não era mostrar quem convenceria mais os convidados, e sim, mostrar a preparação de cada um e o potencial crítico e participativo de todos. Estou realizado com esta atividades, as duas equipes me surpreenderam. Sem contar que diversas áreas foram trabalhadas, uma atividade, até então, como foco na Língua Portuguesa, abrangeu Ciências, Matemática e muito mais”, celebra o professor responsável.
  • Turma do 5º ano da Emef Waldemar Costa Filho debateu sobre o uso ou não das sacolas plásticas
  • Turma da Emef Waldemar Costa Filho debateu sobre o uso das sacolas plásticas
  • Turma do 5º ano da Emef Waldemar Costa Filho debateu sobre o uso ou não das sacolas plásticas
  • Turma do 5º ano da Emef Waldemar Costa Filho debateu sobre o uso ou não das sacolas plásticas
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos