Cidades
Publicada em 11/10/2017 - 21h50min

Luana Nogueira
ampliação

Convênio da Apae terá serviço para crianças de até três anos

Repasse anual será de R$ 76,8 mil, e iniciativa visa preparar as crianças para quando forem à escola especial

Foto: Ney Sarmento/PMMC

Em reunião foi decidido que dois médicos serão contratados para o convênio
A Prefeitura de Mogi das Cruzes assinou um convênio com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) para o repasse anual de R$ 76,8 mil para o projeto "Estimulando Vidas". A iniciativa vai beneficiar crianças de zero a três anos. De acordo com o secretário de Saúde, Marcello Cusatis, o serviço é pioneiro no Alto Tietê. Com a parceria, a administração municipal terá direito a 20 vagas no atendimento.
O convênio foi assinado ontem pelo prefeito Marcus Melo (PSDB) e pelo presidente da Apae, João Montes. O serviço tem o objetivo de estimular o desenvolvimento de crianças de zero a três anos para prepará-las para a educação especial.
Segundo Montes, atualmente, 20 crianças são atendidas pelo serviço, deste total, quatro têm microcefalia. O objetivo da Apae é aumentar o número de vagas oferecidas. "Nossa expectativa é buscar mais parceiros. Esse projeto tem a participação do Condeca (Conselho Estadual dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes), que tem financiado neste ano. Estamos negociando a renovação do projeto com o conselho e também tentando buscar mais recursos em Brasília", esclareceu. O recurso do convênio será utilizado pela Apae para a contratação de médicos para fazer o atendimento.
Para o secretário Cusatis, o serviço oferecido pela Apae é essencial e diferenciado. "Serão R$ 6,4 mil por mês. O projeto é muito importante, a rede não conta com esse profissional altamente especializado. Essa é uma maneira da Prefeitura apoiar para que o programa se concretize e, como contrapartida, temos 20 vagas para estimulação precoce", ressaltou.
Cusatis avaliou que além de atender as crianças com síndrome de down, o serviço também acolherá pacientes com microcefalia. "A Prefeitura fez várias ações em 2015 e 2016, até hoje entregamos repelentes para as gestantes. Saiu um estudo agora dos primeiros anos das crianças que nasceram com microcefalia causada por Zika e o prejuízo de cognição é maior do que se imaginava, pois não existem centros especializados", afirmou.
Melo ressaltou que o convênio com a Apae é importante para atender os mogianos que precisam de atendimento especializado. "Esse convênio é para acompanhar melhor as crianças que demandam uma atenção na área de saúde. A Apae vai poder contratar médicos para atender esses pacientes. É uma grande alegria contribuir com mais um serviço que a entidade vai oferecer a cidade", destacou.
Compartilhe

Video

Mais vistos