Brasil e mundo
Publicada em 21/10/2017 - 00h20min

Estadão Conteúdo
'Brexit'

Líderes listam desafios para negociações com Reino Unido

Theresa May, primeira-ministra, destacou a necessidade de um trabalho em conjunto entre os países europeus

Foto: Jay Allen/The Prime Minister's Office

Theresa May se mostrou otimista sobre o acordo
A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse ontem que seu país e a União Europeia (UE) têm mais trabalho pela frente antes de chegaram a um acordo sobre as negociações do chamado "Brexit", como é conhecido o processo para a retirada do Reino Unido do bloco. Segundo May, a reunião de cúpula realizada em Bruxelas é um momento para os líderes avaliarem como obter novos avanços.
"Estou ambiciosa e otimista em relação ao futuro do Reino Unido nesta negociações, embora eu saiba que ainda temos trabalho pela frente", afirmou May, durante coletiva em Bruxelas. "Se vamos dar um passo adiante juntos, precisa ser por meio de um esforço comum. Devemos trabalhar juntos para conseguir um resultado que possamos defender e que funcione para todos", acrescentou.
Na cúpula, que durou dois dias, May tentou persuadir outros líderes da UE de que já tinham feito progresso suficiente nas conversas sobre o Brexit para avançar para a próxima fase de discussões sobre o futuro relacionamento comercial do Reino Unido com a Europa. Para as lideranças da UE, porém, houve progresso, mas não suficiente para iniciarem a próxima etapa. A expectativa, disseram, é que conversas sobre a questão comercial poderão ter início em dezembro.
França
O presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou ontem que cabe ao governo do Reino Unido admitir suas obrigações financeiras com a União Europeia antes de deixar o bloco. Segundo ele, dessa maneira o diálogo sobre a relação futura depois do chamado Brexit pode avançar. Em entrevista coletiva após uma reunião de líderes da UE em Bruxelas, Macron disse que "nós temos visto certo progresso" e que o bloco deseja passar para a próxima fase das negociações. "Mas muito ainda precisa ser feito", comentou, "e isso está nas mãos da premiê May", em referência à Theresa May.
O líder francês ressaltou que a principal questão que trava o avanço das negociações é financeira. "Não chegamos na metade do caminho nisso. Muito precisa ser feito", notou. Macron disse que, caso o Reino Unido queira honrar seu compromisso de que nenhum país terá de pagar mais no orçamento da UE nem receber menos como consequência do Brexit, Londres precisará reconhecer todos seus compromissos financeiros até 2020.
May pediu aos líderes na quinta-feira ajuda para fechar um acordo que possa ser apoiado no Reino Unido. "Nós não estamos aqui para fazer concessões a fim de responder a discursos", disse Macron. "O problema para a sra. May é que aqueles que defenderam o Brexit nunca explicaram às pessoas que consequências haveria." 
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos