Artigos
Publicada em 29/06/2017 - 21h59min

Andréia Gonçalves

Arraiá

Nos festejos juninos ou julinos, já que é tanta festa que foi ampliado para mais um mês, não podemos deixar passar nenhum clássico. Comida, é claro, é o que nos move nessas festas. É tanta coisa gostosa que nem sabemos por onde começar.
Tem aqueles doces que você come apenas nesses eventos, como o clássico pé-de-moleque da dona Zuleica, que na festa do centro espírita que frequento é objeto de leilão de tão concorrido. Imperdível!
Sempre fico imaginando que nos trilhos também poderíamos ter algumas situações para essa época. Tenho certeza de que se liberarem vai aparecer alguém com uma sanfona, outro com um triângulo e o forró vai rolar solto no vagão.
O ideal é na volta porque de manhã o índice de mau humor do povo é maior. A gente já iria se sacolejando todo, além do balancê habitual, até o trajeto final. No começo, como qualquer coisa, iriam criticar, mas depois até cobrariam isso nos próximos anos. Quem sabe!
Os comes e bebes para festa já estarão por ali mesmo então, errados ou não, vai de cada um dançar com o estômago vazio ou cheio de amendoim torrado ou doce.
Cobra eu nunca vi para saltarmos no meio da quadrilha, mas pode-se adaptar por um: "Olha a barata! Xi....esmagou"! Também a clássica da chuva, infelizmente, fará bastante sucesso ou nunca viram a goteira dentro dos trens e novamente, na estação da Luz?
O que vale é nos adaptarmos. Tentar usar o tempo da viagem de uma maneira mais leve, talvez. Quem sabe realizar um casório no meio da bagunça. Impossível um dos pares tentar fugir no meio da multidão!
Para a maquiagem, é só pedir para aquelas mulheres que são boas nisso, no chacoalhar do trem. Pintinhas, batom, tudo o que a noiva ou noivo também quiserem.
Quando menos esperarmos, rolar uma partida de bingo ao invés do truco tradicional. Podemos apostar uma viagem sentada com o colega da frente. Sim, colega, já que a essa altura todos ali seriam menos sisudos e mais simpáticos.
Será que tudo isso é muito utópico? Bom, só vamos descobrir se um dia isso tudo puder ser um pouco real. Aguardemos!
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos