Variedades
Publicada em 19/05/2017 - 23h16min

virada cultural

Xaxado Novo reúne Nordeste e Oriente

Programação começa hoje com mais de 40 atrações, como Daniela Mercury, Arnaldo Antunes e o grupo que resgata a musicalidade regional

Foto: Guilherme Castoldi/Divulgação

Grupo combina performance e intervenção nos shows
Mogi das Cruzes inicia hoje sua décima participação na Virada Cultural Paulista, uma parceria entre o governo do Estado e a prefeitura. Serão seis palcos ocupados na cidade: o principal, no estacionamento do Ginásio Municipal de Esportes Professor Hugo Ramos; o Teatro Vasques, o Centro Cultural de Mogi, o Largo Bom Jesus, o Largo do Rosário e a praça Flávio Furlan (Terminal Central). Ao todo serão 44 atrações, sendo dois terços compostos por artistas locais. Confira a programação completa no site www.cultura.pmmc.com.br. 
A partir das 18h30, o palco principal recebe DJ, o mogiano Gui Cardoso, o rapper carioca Filipe Ret, o Grupo Batakerê com o show "A Cara do Brasil", e o grande destaque do dia, a cantora Daniela Mercury, às 23h59.
Neste domingo, às 15h30, Ben Ludmer entra na programação com o show de humor "Sem Cartola", e às 17 horas, o grupo Xaxado Novo promete levar o público para uma viagem musical pela cultura nordestina, combinado com a música árabe e cigana no baião. O encerramento do evento será feito pelo cantor e compositor Arnaldo Antunes, às 18h30. 
Além da parte musical, as apresentações do grupo Xaxado Novo envolvem performance e intervenções. O grupo é formado por Bruno Duarte (davul, tambor e voz), Davi Freitas (violão e voz), Felipe Gomide (rabeca, voz e cordel) e Marcus Simon (percussão e voz).  
Como também desenvolve uma linha de pesquisa na música cigana e oriental, através das bandas Orkestra Bandida e Yaqin Ensemble (Coletivo Tarab) o Xaxado Novo, segundo os músicos, identifica diversos elos entre a música do oriente islâmico com a música nordestina. "Hoje sabemos que diversos instrumentos, como a própria rabeca e a zabumba, têm origem no Oriente (rebab e davul), além de ritmos como o Halij, Cocek e Karachi, que lembram muito o baião e o xaxado, mas que não se encontram na música tradicional portuguesa, mas na música árabe e cigana. A ideia do nosso primeiro disco, 'Sertão Cigano', foi justamente explicitar essa influência e aproximar essas culturas tão próximas e ao mesmo tempo tão distantes", explica o grupo. 
A ideia de inserir performances e intervenções nas apresentações veio da experiência do cantor Davi Freitas como palhaço e animador em performances realizadas em diversos eventos. "As intervenções com pífanos e percussão também ajudam a descontrair e a quebrar essa distância que existe, muitas vezes, entre os artistas no palco e a plateia", destacam.
 Pela Virada Cultural, o grupo já se apresentou na cidade de Registro. "A plateia se divertiu muito. Esperamos realizar nos próximos eventos excelentes apresentações. Se depender do Xaxado Novo, não vai faltar animação e ousadia", finalizam.
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos