Capa | Matéria
Publicada em 29/04/2017 - 20h49min

Vitoria Fiel*

Cuidado com a gripe!

Com a chegada do outono, as temperaturas caem, os ventos são mais fortes, usamos roupas mais quentes e é mais difícil deixar a cama logo cedo. Quem é que não sentiu isso nos últimos dias? Além disso, é durante esse período do ano que aumentam os casos de doenças respiratórias, principalmente a gripe. Segundo especialistas, é preciso prevenir a gripe, por isso as medidas de controle devem ser intensificadas, principalmente em crianças e idosos, que são mais vulneráveis.
Conheça os sintomas
De acordo com o médico pneumologista de Suzano, Paulo Henrique Braga Bizarria, as doenças respiratórias mais comuns em crianças podem ser classificadas em três grupos.
“Temos o grupo da gripe, que se trata de uma infecção respiratória causada pelos vírus da família Influenza. Dentre os sintomas mais comuns está a febre que costuma ser acima de 38 graus, principalmente nas crianças; dores de cabeça e, frequentemente, dor nos músculos e articulações. Se houver complicações, o quadro pode evoluir para uma pneumonia, que é uma doença inflamatória do pulmão associada à febre e à falta de ar”, explica o médico.
Além da gripe, há o grupo do resfriado. “Os sintomas são coriza, tosse e espirros, e ao contrário da gripe, o doente encontra-se mais bem-disposto, apenas incomodado com estes os sintomas. Já o grupo da bronquiolite, por sua vez, uma inflamação nos brônquios que gera acúmulo de líquidos nos pulmões, tendem a ser quadros parecidos com o resfriado. As crianças que apresentam sintomas, como a falta de ar e cansaço, e em bebês existe a dificuldade de mamar, por isso, as mães devem ficar bem atentas”.

Prevenção 
Segundo o especialista, as crianças podem ser imunizadas com a vacina contra a gripe, porém, é preciso lembrar que a dose não previne contra resfriados e outras doenças respiratórias. “O principal cuidado é lavar as mãos e evitar o contato com pessoas doentes, higienizar objetivos e usar tudo descartável, até fraldas e paninhos, os chamados 'cheirinhos', além de manter o ambiente bem arejado e ventilado", orienta.
Ao perceber os sintomas, segundo o pneumologista, o ideal é evitar a automedicação e procurar um médico. “Uma das medidas simples de evitar contagio é ao tossir, cobrir a região das vias respiratórias, boca e nariz, curvando-se próximo a região cotovelo”, recomenda.
  • Especialista recomenda atenção às diferentes doenças respiratórias
  • Especialista recomenda atenção às diferentes doenças respiratórias
  • Especialista recomenda atenção às diferentes doenças respiratórias
Compartilhe
Comentários
Comentar

Video

Mais vistos